Segundo documento vazado, ex-embaixador falava em apoio para modernizar forças em troca da defesa de interesses americanos

Os Estados Unidos viram como grande oportunidade ajudar o Brasil a impulsionar suas forças militares em troca de o Brasil “apoiar os interesses dos EUA”. A revelação foi feita por documentos diplomáticos americanos, vazado pelo site WikiLeaks nesta quarta-feira.

Os dois documentos, enviados em janeiro de 2009 pelo então embaixador americano em Brasília, Clifford Sobel, previu que a nova estratégia de defesa do Brasil, traçada um ano antes pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, “levaria o Brasil a se tornar um parceiro em segurança mais efetivo”.

A estratégia poderia resultar em uma força militar mais capacitada, segundo o documento, que “pode apoiar interesses americanos ao exportar estabilidade para a América Latina”.

O diplomata americano teria escrito que planos para usar aquisições tecnológicas e de defesa para monitorar o vasto território brasileiro, como a inabitada Floresta Amazônica, “criam oportunidades para negócios e parcerias entre americanos e brasileiros, assim como para as Forças Armadas se engajarem na crescente cooperação enquanto as forças brasileiras buscam se modernizar”, segundo a correspondência.

No documento vazado nesta quarta-feira, Sobel também teria falado da "frieza" do governo Lula em relação aos EUA e teria observado que o “engajamento com o Brasil irá aumentar apenas de forma gradual, particularmente enquanto o atual governo estiver no poder”.

Ele também teria ressaltado o ceticismo das ambições brasileiras em adquirir seu primeiro submarino nuclear, além de lembrar de um contrato de cinco submarinos assinado com a França, assim como a concorrência sobre aviões de caça entre a fabricante francesa Dassault e a sueca Saab.

*Com AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.