WikiLeaks: Austrália negociou com Japão apoio à caça de baleias

Estados Unidos intermediaram as conversas entre os dois países, ocorrida em junho

EFE |

A Austrália negociou apoiar a caça comercial de baleias em águas do Japão, solicitando em troca que Tóquio reduzisse a captura de cetáceos com fins "científicos" em águas da Antártida, segundo documentos revelados pelo site "WikiLeaks".

Os Estados Unidos intermediaram as conversas, que aconteceram em junho, antes da reunião anual da Comissão Baleeira Internacional em Agadir (Marrocos), de acordo com documentos publicados pela imprensa australiana nesta terça-feira.

De acordo com o vazamento do "WikiLeaks", um emissário do Departamento do Meio Ambiente informou a Washington que Austrália e Nova Zelândia respaldariam o acordo.

O Japão, por sua vez, colocou como condição para o pacto a atuação conjunta contra as atividades de grupos ambientalistas como o "Sea Shepherd", que há dois anos perseguem os pesqueiros japoneses em águas da Antártida. Esses tipos de organizações denunciam que a carne das baleias caçadas pelos "cientistas" japoneses depois é vendida para consumo, sendo este o objetivo real do programa de "pesquisa".

Durante o último fim de semana, ativistas de "Sea Shepherd" se manifestaram contra três baleeiros japoneses. A Noruega é o único país do mundo que permite a caça comercial de baleias, mas Japão e Islândia caçam 2 mil cetáceos por ano com fins "científicos".

    Leia tudo sobre: documentos diplomáticoswikileaksaustráliajapãoeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG