Wesley Snipes é condenado a três anos de prisão por evasão fiscal

Orlando (EUA), 24 abr (EFE).- O ator Wesley Snipes foi condenado a 36 meses de prisão, a pena máxima pedida pelo promotor, por vários crimes fiscais pelos quais foi considerado culpado em um julgamento realizado em fevereiro, informaram hoje fontes judiciais.

EFE |

O juiz federal William Terrell decidiu impor a pena máxima, apesar de nos últimos dias várias estrelas de Hollywood, como Denzel Washington e Woody Harrelson, terem demonstrado seu apoio ao ator, ao qual qualificaram de bom cidadão.

Em fevereiro, Snipes foi julgado em um tribunal de Ocala, ao noroeste de Orlando (Flórida), por não declarar impostos entre 1999 e 2004, o que significa crime de evasão de impostos.

A Promotoria alegou que o ator tinha acumulado uma dívida com o Fisco de US$ 3 milhões, apesar de sua defesa afirmar que se tratava apenas de US$ 228 mil.

Os advogados do protagonista da trilogia "Blade", de 45 anos, tinham pedido ao juiz uma pena menos severa, sem prisão nem multa, já que consideravam que se tratava de um crime menor e que o ator não tinha antecedentes criminais.

Nos últimos dias, 30 amigos e parentes enviaram cartas ao juiz explicando o bom caráter e comportamento do intérprete.

"Wesley é como uma árvore... como um grande carvalho. Muitos dos que o conhecemos fomos testemunhas dos frutos de seu trabalho, nos sentamos à sua sombra e nos protegemos com sua presença", escreveu Denzel, ganhador de dois Oscar por "Tempo de Glória" e "Dia de Treinamento".

"Wes passou tempo discutindo e dissecando o problema do racismo", disse Harrelson, com quem Snipes trabalhou em vários filmes. "Luta pela justiça em todas as suas relações e rapidamente percebi que Wes era um cidadão do mundo".

O próprio Snipes acreditava que não devia passar um dia na prisão e afirmava que liberdade mediante pagamento de fiança era um "castigo justo", segundo documentos judiciais entregues hoje na Corte Federal de Ocala. EFE pgp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG