A China pode desempenhar um papel especial para desbloquear as negociações sobre o programa nuclear norte-coreano, avaliou o Departamento de Estado americano, nesta quarta-feira, devendo propor a Pyongyang que entregue a Pequim um plano de verificação de suas instalações.

O principal negociador americano para o tema nuclear, Christopher Hill, chegou hoje à Coréia do Norte, onde deverá insistir na intervenção chinesa para tentar fazer as negociações avançarem. Atualmente, o diálogo se encontra paralisado, comentou um funcionário do Departamento de Estado.

O porta-voz Sean McCormack declarou, sem dar detalhes, que a China poderá ter um "papel especial", em referência ao que já fez, no passado, como "depositário de documentos e informações".

Segundo uma outra fonte do órgão, que pediu para não ser identificada, Hill poderá propor aos norte-coreanos que entreguem à China um plano de verificação de suas instalações. Pequim é um aliado próximo de Pyongyang, cujo governo ameaça reiniciar suas atividades nucleares.

Em 24 de setembro, a Coréia do Norte expulsou os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) da zona de reprocessamento de seu complexo nuclear de Yongbyon e disse querer relançar essas instalações nucleares e reintroduzir materiais físseis.

lc/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.