Washington suspende atividades em sua embaixada em Porto Príncipe

Os Estados Unidos suspenderam as atividades em sua embaixada em Porto Príncipe, devido a violentas manifestações de rua na capital haitiana, anunciou nesta quarta-feira o porta-voz do departamento de Estado, Sean McCormack.

AFP |

As atividades da embaixada serão retomadas quando a calma se restabelecer, acrescentou.

Em Porto Príncipe, o presidente do Haiti, René Préval, pediu nesta quarta-feira calma à população, que vem realizando violentos protestos há uma semana contra o custo de vida no país, principalmente pelos altos preços dos alimentos.

"A solução para a crise do alto custo de vida é mundial e pagamos as conseqüências das más políticas aplicadas há 20 anos no Haiti", declarou o chefe de Estado em uma mensagem divulgada pela televisão nacional.

Préval pediu que os haitianos não realizassem pilhagens e destruições. "Isso não vai resolver os problemas do país", disse. "Ordenei à polícia e aos soldados da ONU para acabarem com os saques", declarou.

Novos atos de violência acompanhados de tentativas de saques aconteceram nesta quarta-feira no Haiti, onde os Capacetes azuis da ONU tiveram que intervir novamente com o lançamento de gás lacrimogêneo em Porto Príncipe, de acordo com testemunhas.

Pela manhã, numerosos grupos de jovens tomaram várias ruas do centro da capital, montando barricadas com pneus.

Todas as atividades estão paralisadas e inúmeras lojas foram saqueadas por manifestantes.

Os que tentavam se aproximar do Palácio nacional, sede da presidência, foram afastados por Capacetes azuis da Missão de estabilização da ONU no Haiti (Minustah).

Em Nova York, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu calma no Haiti, indicou o seu serviço de imprensa. "O secretário-geral pede calma e conclama os manifestantes a renunciarem a qualquer ato de violência", diz o comunicado.

cre/fb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG