Por Jorge A. Bañales.

Washington, 19 jan (EFE).- Os Estados Unidos desdobram cerca de 45 mil soldados e policiais em Washington para a posse de Barack Obama, e as autoridades declararam a capital americana como "área livre da prostituição".

Por alguns dias, o Distrito de Columbia receberá cerca de quatro vezes mais pessoas que sua população regular, e terá mais tropas e agentes de segurança que os enviados à guerra no Afeganistão.

O Departamento de Segurança Nacional e o FBI (Polícia federal americana) intensificaram sua vigilância sobre os grupos que defendem a "supremacia branca", que nos últimos meses intensificaram sua retórica racista.

Além disso, a Polícia do Distrito de Columbia - o nome oficial da capital dos EUA - colocou avisos nos quais se lê: "Advertência: Zona livre da prostituição".

A advertência não é apenas uma ameaça vazia. Quem for flagrado terá de pagar uma multa de US$ 300 e ainda correrá o risco de passar alguns dias na prisão.

A prostituição é ilegal na capital americana, mas as autoridades toleram as pessoas que "vagam por algumas esquinas à espera de clientes".

No entanto, tudo está proibido durante os dias da posse, e ninguém poderá ficar "vagando" pelas áreas mais conhecidas da prostituição em Washington.

Às vésperas da posse de Obama, os 560 habitantes da capital americana e as pessoas que vivem na Virgínia e em Maryland, mas trabalham em Washington, já sentem os transtornos causados pelas medidas de segurança.

As autoridades já proibiram o trânsito de veículos particulares nas pontes que cruzam o rio Potomac.

Amanhã, a capital dos EUA ficará praticamente isolada, com o fechamento das 10 pontes que ligam o distrito de Columbia com Maryland e Virgínia sobre os rios Potomac e Anacostia.

Embora as autoridades não tenham recebido ameaças sérias de ataque, a operação comandada pelo Serviço Secreto incluirá 7.500 soldados regulares, 10.000 soldados da Guarda Nacional e 25.000 policiais de outros estados.

A Polícia Metropolitana colabora com 99 agências policiais federais, estaduais e locais, e o FBI terá 600 agentes em serviço, enquanto o Exército americano desdobrou em Fort Stewart (Geórgia) uma brigada pronta para responder a um ataque químico ou biológico.

Os soldados que desfilarão ou montarão guarda cerimonial em torno da posse também estão prontos para trocar seus uniformes pelos de combate caso ocorra uma emergência.

A segurança durante a posse também contará com a tecnologia, com 94 câmeras de segurança instaladas pela cidade, além das fixas que ficam nas estações do metrô e as que serão instaladas em helicópteros, informou a chefe da Polícia Metropolitana, Cathy Lanier.

Na cerimônia de posse amanhã, em que se tornará o 44º presidente dos EUA, Obama será protegido por um enorme escudo transparente, formado por quatro lâminas de plástico blindadas e que pesa quase cinco toneladas.

Em seguida, o presidente percorrerá em trajeto de 2.700 metros até a Casa Branca em uma limusine construída sobre o chassi de um caminhão e blindada como um tanque de guerra com painéis de aço, alumínio e titânio. EFE jab/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.