A Casa Branca rechaçou nesta quinta-feira a acusação não racional do primeiro-ministro russo Vladimir Putin, segundo o qual os Estados Unidos teriam orquestrado o conflito na Geórgia por questões de política interna.

"Dar a entender que os Estados Unidos orquestraram isso por conta de um candidato político não parece racional", declarou a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino.

A rede de televisão CNN indicou que Putin havia feito essa acusação durante uma entrevista.

Segundo a rede de notícias, nesta quinta-feira o primeiro-ministro russo acusou, entre outros, os Estados Unidos de terem interferido no conflito na Geórgia, afirmando que houve "ordens" dadas no palco de operações pelos norte-americanos.

"O fato é que cidadãos norte-americanos estavam realmente na região em conflito durante o período de hostilidades. Deveriam admitir que puderam fazer isso exclusivamente seguindo ordens diretas de seu líder", disse Putin ao canal em um breve trecho de uma entrevista que será divulgada na tarde desta quinta-feira.

"Então, atuaram seguindo essas ordens, fazendo o que lhes havia sido ordenado, e o único que pode ter dado essas ordens foi seu líder", acrescentou Putin.

A Casa Branca indicou ainda nesta quinta-feira que está considerando anular o acordo de cooperação nuclear civil com a Rússia, em resposta às ações de Moscou na Geórgia.

"Não creio que haja nada mais a ser anunciado, mas sei que há discussões" sobre o tema, declarou Perino, sobre a possibilidade de Washington descartar o acordo firmado em 6 de maio entre Rússia e Estados Unidos.

ok/dm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.