Os Estados Unidos protestaram oficialmente junto às autoridades chinesas depois de uma manobra hostil efetuada por barcos chineses contra um navio americano em águas internacionais, anunciou nesta segunda-feira o Departamento de Estado.

Cinco barcos chineses efetuaram manobras perigosas domingo perto de um navio da Marinha dos Estados Unidos, a cerca de 120 km da ilha chinesa de Hainan, informou o Pentágono.

"Foi uma manobra imprudente, perigosa, e não profissional", declarou nesta segunda-feira um porta-voz do Pentágono, Bryan Whitman.

"Pensamos que nosso navio foi hostilizado injustamente. Este é o motivo do nosso protesto junto ao governo chinês", explicou Robert Wood, porta-voz do Departamento de Estado.

Segundo o relato do Pentágono, os barcos chineses cercaram o navio americano e dois deles se aproximaram a menos de 15 metros, erguendo bandeiras chinesas e exortando os americanos a deixarem o local.

O incidente chegou a ficar cômico quando a tripulação americana jogou água no barco chinês que estava chegando perto demais, obrigando os tripulantes a ficarem de cuecas.

"Como os chineses chegaram com intenções desconhecidas, os marinheiros jogaram água em um dos barcos para se proteger", explicou o ministério da Defesa em comunicado.

"Os tripulantes chineses tiraram a roupa e o barco continuou a se aproximar, chegando a menos de oito metros", acrescentou.

Os chineses atiraram pedaços de madeira no caminho, e dois barcos se colocaram diante do navio americano, obrigando-no a tomar medidas de emergência para evitar uma colisão, segundo o comunicado do Departamento de Estado.

O navio americano se dedica a missões de vigilância e a "reunir dados sobre a acústica submarina", destacou Whitman.

Este incidente se inscreve num contexto de "crescente agressividade dos barcos chineses" nos últimos dias, segundo o Pentágono.

lc/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.