Os Estados Unidos fizeram formalmente a solicitação à União Europeia (UE) para que receba os ex-presos da base de Guantánamo e se comprometeram em facilitar todas as informações necessárias para os países europeus que venham a aceitá-los, anunciou nseta sexta-feira a Comissão Europeia.

"As autoridades americanas solicitaram formalmente um papel ativo da União Europeia e mostraram a firme vontade de criar um marco de cooperação para facilitar acordos bilaterais com os Estados membros que estariam interessados em aceitar os ex-presos", indicou nesta sexta-feira o comissário europeu de Justiça e Imigração, Jacques Barrot, em um comunicado.

"Saúdo a vontade das autoridades americanas de facilitar todas as informações necessárias para a análise caso por caso das situações das pessoas atualmente detidas e estou satisfeito com o compromisso reiterado dos Estados Unidos para realizar a luta contra o terrorismo no pleno respeito dos valores democráticos", acrescenta o texto oficial divulgado.

Nesta sexta-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, ao receber o presidente americano Barack Obama, afirmou que seu país vai receber um preso da base de Guantánamo, que Washington pretente fechar nos próximos meses.

Indagado a respeito em Estrasburgo, junto ao presidente Barack Obama, Sarkozy respondeu: "A França só tem uma palavra. Sim, falamos do assunto. Sim, chegamos a um acordo e, sim, é lógico e coerente acolher um preso de Guantánamo", afirmou.

Obama anunciou em janeiro, ao assumir a presidência dos Estados Unidos, que a base de Guantánamo em Cuba, aberta por seu antecessor George W. Bush por motivo da luta contra o terrorismo, seria fechada até janeiro de 2010.

Muitos de seus presos poderão ser libertados ou enviados para seus países de origem, onde podem ser alvo de processos judiciais.

Vários países europeus já se ofereceram para receber esses detentos, como a Espanha e Portugual.

app-mar/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.