Washington pede a Pyongyang que não dispare outro míssil de longo alcance

Os Estados Unidos advertiram nesta segunda-feira a Coreia do Norte de que um novo lançamento de míssil de longo alcance apenas agravará as tensões na região uma semana depois de seu teste nuclear.

AFP |

Um lançamento desse tipo representaria "uma violação clara" da resolução 1718 adotada pelo Conselho de Segurança da ONU após o primeiro teste nuclear norte-coreano em 2006, declarou um porta-voz do Departamento de Estado, Robert Wood.

"Francamente, o Norte fará melhor se puser fim a esse tipo de comportamento provocador", acrescentou o porta-voz durante uma entrevista coletiva à imprensa. "Isso apenas inflama as tensões na região".

"Queremos que o Norte respeite suas obrigações internacionais", acrescentou Wood.

A Coreia do Norte parece se preparar para efetuar um disparo de míssil de longo alcance em um novo gesto aparente de desafio à comunidade internacional, que condenou seu teste nuclear da semana passada, indicaram nesta segunda-feira autoridades sul-coreanas e americanas.

Um trem transportou durante o final de semana o míssil de uma usina próxima a Pyongyang até a base de lançamento de Dongchang-ri (na costa do Mar Amarelo), segundo fontes dos serviços de informações citadas nesta segunda-feira pela imprensa sul-coreana.

Duas autoridades americanas de Defesa, que pediram que seus nomes não fossem divulgados, confirmaram nesta segunda-feira à AFP que um míssil parecia ter sido transportado para a base.

Segundo a agência sul-coreana Yonhap, pode ser uma versão modificada do míssil Taepodong-2, já testado em 2006 e em abril, e teoricamente capaz de atingir o Estado americano do Alasca.

Depois de seu teste nuclear há uma semana, a Coreia do Norte disparou seis mísseis de curto alcance. O regime de Pyongyang já ameaçou atacar o Sul e tomar medidas de legítima defesa em caso de sanções da ONU.

sl/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG