Washington limpa a neve das ruas diante de nova tempestade

Washington, 8 fev (EFE).- Escavadeiras para retirar neve e caminhões com sal estão envolvidos hoje na limpeza das ruas na região metropolitana de Washington antes da chegada amanhã de uma nova tempestade que pode descarregar outros 20 centímetros de neve.

EFE |

Abrir as estradas e restabelecer os serviços é o principal objetivo na região, onde um sol começa a derreter a neve acumulada.

Os órgãos federais não abriram hoje, deixando em casa 230 mil funcionários, o mesmo feito por grandes empresas privadas situadas em locais em que o transporte público está restrito.

As escolas fecharam e alguns distritos já anunciaram que não abrirão amanhã.

Camadas de gelo nos telhados, em ruas e parques fazem de Washington uma paisagem de cartão postal natalino.

Depois de três dias sem poder sair de casa, alguns moradores querem que tudo volte ao normal.

Robert Davis, que vive em um bairro residencial na Virgínia, a 20 minutos de Washington, explicou à Agência Efe que em 20 anos esta foi a primeira vez que não conseguiu ir trabalhar.

"Estou preso. Nunca tinha visto uma coisa assim. Está claro que o Governo não está preparado para enfrentar uma tempestade destas proporções", disse enquanto tentava com uma pá junto retirar o acúmulo de neve da entrada da garagem de sua casa, com a ajuda de seu filho.

Nesta segunda-feira, a normalidade tão desejava começava a ser retomada a passos lentos. O aeroporto Dulles, o maior da região, e o de Baltimore-Washington reabriram.

Já o aeroporto Reagen National, próximo à capital, funcionou abaixo do normal, o que só que permitiu alguns pousos e decolagens.

Além disso, o metrô não chega até o terminal aéreo porque todas as operações por terra estão canceladas.

Milhares de moradores continuam sem energia e as companhias alertaram que ainda vão demorar alguns dias para restabelecer por completo o serviço.

Durante o fim de semana, o número de casas sem eletricidade em Maryland, Virgínia, Washington, Pensilvânia e outros estados pela tempestade chegou a 400 mil.

As estradas e as principais vias de tráfego estão limpas, mas as ruas secundárias e as vias residenciais seguem cobertas de neve.

Por isso, muitos moradores não conseguem retirar seus automóveis das garagens de suas casas tampouco dos locais onde estacionaram os veículos na sexta-feira.

A sensação de isolamento é grande nos arredores de Washington, onde é necessário um veículo até para ir comprar leite.

Segundo o Serviço Nacional de Meteorologia, a tempestade da sexta-feira e do sábado cobriu o aeroporto de Dulles com 80 centímetros de neve, um recorde, e deixou quantidades menores em Baltimore e Washington.

Nesta segunda-feira, uma nova tempestade que está em Oklahoma se dirige em direção à região, onde deve chegar amanhã à tarde.

"Há previsão é da queda de 20 centímetros, podendo chegar aos 25 centímetros", informou hoje o órgão de meteorologia.

A tempestade deve atingir o nordeste do país, de Washington até Boston, mas a maior quantidade deve ser registrada no norte da capital, podendo chegar a 30 centímetros.

Os especialistas apontam que o temporal será mais frio do que o do fim de semana passado, porque vem acompanhado de ventos fortes, por isso que os meteorologistas alertaram da periculosidade do novo sistema.

Apesar da grande quantidade de neve, a tempestade anterior provocou a morte de duas pessoas, um pai e um filho que foram atropelados por um trator caiu sobre eles.

O peso da neve derrubou algumas árvores e telhados na região, incluindo o teto do prédio dos bombeiros no norte da Virgínia, mas não causou vítimas. EFE cma-dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG