Washington endurece tom sobre colonização antes de encontro Obama/Abbas

O governo americano endureceu o tom nesta quarta-feira contra a colonização judaica nos territórios ocupados, na véspera da primeira reunião entre o presidente Barack Obama e o líder palestino Mahmud Abbas.

AFP |

A secretária de Estado americana Hillary Clinton, que deve se reunir com Abbas em um jantar, também afirmou que o presidente Obama exigia o congelamento da colonização israelense, inclusive da expansão "natural" das colônias defendida pelo governo israelense de Benjamin Netanyahu.

"O presidente foi muito claro quando se reuniu com o primeiro-ministro Netanyahu" há dez dias, declarou à imprensa a chefe da diplomacia americana.

"Ele quer o fim da colonização: sem colônias, sem assentamentos, sem exceções ligadas ao crescimento natural", acrescentou Hillary, ao ser consultada durante uma entrevista coletiva à imprensa ao lado de seu colega egípcio Ahmed Abul Gheit sobre as declarações de Netanyahu anunciando que pretendia manter a expansão das colônias existentes na Cisjordânia.

Hillary expressou desta maneira a posição do novo governo americano sobre a colonização israelense desde a chegada de Obama ao poder, em janeiro.

No domingo, Netanyahu afirmou que não tinha a intenção de congelar completamente a colonização judaica.

A Autoridade Palestina saudou as declarações de Hillary, lembrando que a suspensão total da colonização estava prevista no Mapa do Caminho, plano internacional no centro dos esforços pela paz desde 2003.

"Espero que os Estados Unidos estabaleçam também um mecanismo para forçar o governo israelense a respeitar seus compromissos previstos pelo Mapa do Caminho, principalmente a suspensão total da colonização", declarou à AFP o negociador palestino Saeb Erakat.

Abbas, que chegou na terça-feira à noite em Washington, reuniu-se nesta quarta-feira com o presidente do Banco Mundial Robert Zoellick, na sede dessa instituição, que deve anunciar na quinta-feira a concessão de uma nova ajuda de 55 milhões de dólares à Autoridade Palestina, segundo autoridades palestinas.

A reunião na Casa Branca ocorrerá dez dias depois do encontro entre Obama e o novo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Abbas estará acompanhado de seu primeiro-ministro Salam Fayyad que formou na semana passada um novo gabinete excluindo os islamitas do Hamas, que estão no poder em Gaza desde junho de 2007.

ezz/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG