Washington considera preocupantes eleições da Junta Militar birmanesa

Bangcoc 9 mai (EFE).- O secretário de Estado adjunto dos Estados Unidos para a Ásia Oriental e o Pacífico, Kurt Cambpell, qualificou hoje de preocupantes as eleições que a Junta Militar birmanesa planeja realizar no final deste ano.

EFE |

Bangcoc 9 mai (EFE).- O secretário de Estado adjunto dos Estados Unidos para a Ásia Oriental e o Pacífico, Kurt Cambpell, qualificou hoje de preocupantes as eleições que a Junta Militar birmanesa planeja realizar no final deste ano. Campbell, que fez escala na capital tailandesa antes de retomar a viagem em direção a Mianmar, disse que Washington considera "muito problemática" tanto a Lei Eleitoral aprovada pelo regime como o clima político vivido no país asiático. "Nossa equipe quer ter a oportunidade de ver diretamente quais são os planos (do Governo) em termos gerais para todo o processo eleitoral", disse Campbell em entrevista coletiva. Uma vez em Mianmar, Campbell deve se encontrar em Naypyidaw, a capital, com membros da Junta Militar, e na segunda-feira, contempla ir a Yangun para se reunir com a líder opositora e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, de 64 anos e submetida a prisão domiciliar. A nova estratégia de Washington consiste em estabelecer um canal de diálogo com a Junta Militar presidida pelo general Than Shwe e oferecer o apoio dos EUA para que sejam abertas para Mianmar as barreiras que impedem seu acesso aos organismos financeiros internacionais. EFE mfr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG