CHARLESTON, West Virgínia - Uma mãe de West Virgínia quer impedir a venda de um popular walkie-talkie depois que o brinquedo de seu filho de três anos interceptou uma conversa sobre drogas e casas de strip-tease entre dois caminhoneiros.

Deborah Pancaro, 34, disse que entrou em contato com a fabricante Fisher-Price depois que ouviu uma conversa na qual um homem disse "10-4" e outras coisas que a levaram a crer que o aparelho transmitia uma conversa de rádio ("10-4" é um código que significa "mensagem entendida").

"Eles disseram que deveriam ir fumar maconha e algo sobre uma casa de strip-tease, coisas realmente explícitas", disse Pancaro na quinta-feira.

O walkie-talkie é vendido exclusivamente na rede Wal-Mart e permite que as crianças interpretem o resgate de animais como o personagem Diego na série de desenho animado "Dora, a Exploradora".

O walkie-talkie deveria ter um alcance de seis metros, mas segundo Pancaro ela ouviu uma das vozes dizer que estava dirigindo pela Pennsylvania Turnpike, cerca de 442km ao norte de Huntington.

Pancaro, que comprou o brinquedo no dia 2 de agosto, disse que enviou uma carta ao fabricante pedindo que conserte o brinquedo para que não tenha aceso à conversa de rádio ou retire-o das prateleiras.

A Fisher-Price se desculpou pela "terrível experiência" de Pancaro  e disse que tentou entrar em contato com a mulher duas vezes desde quarta-feira, afirmou sua porta-voz Juliette Reashor.

Com um número limitado de frequências operacionais disponíveis para walkie-talkies, ela disse que os aparelhos ocasionalmente irão captar as transmissões de outros.

Apesar do produto não ter sido retirado das prateleiras, a Wal-Mart afirma em seu website que o produto foi descontinuado. Uma porta-voz da companhia baseada em Bentonville, Arkansas, disse na quinta-feira que irá averiguar o assunto.

Leia mais sobre brinquedo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.