Vulcão provoca retirada de centenas no sudoeste do Japão

Moradores da região de Takahuru deixam suas casa após primeira erupção do Shinmoe em mais de 50 anos

iG São Paulo |

Autoridades japonesas pediram que cerca de 1.100 moradores da região de Takahuru, na província de Miyazaki, sudoeste do Japão, por causa da erupção do vulcão Shinmoe. Moradores de pelo menos 500 casas terão de deixar suas casas.

Segundo a agência Kyodo, o Observatório Meterorológico regional informou sobre um aumento no nível de lava na área da cratera do vulcão, que tem 1.421 metros de altura.

Segundo imagens por satélite recolhidas pelo observatório regional de Kagoshima, o domo de lava na cratera do vulcão alcançava 500 metros de diâmetro neste sábado. A Agência Meteorológica do Japão mantém o nível 3 de alerta, que recomenda à população "não se aproximar" do vulcão.

O vulcão Shinmoe começou a cuspir cinzas e pequenas rochas na quarta-feira, formando uma coluna de fumaça que alcançou mais de 2.500 metros. Desde então, alguns voos regionais foram alterados, assim como os serviços ferroviários.

É a primeira vez que o Shinmoe entra em erupção há mais de meio século e a primeira em 189 anos na qual expulsa magma, segundo a Agência Meteorológica.

Com EFE

    Leia tudo sobre: japãovulcãoerupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG