Vulcão esvazia cidade por três meses no Chile

SANTIAGO (Reuters) - A cidade chilena de Chaitén, até recentemente o lar de 4.500 pessoas, ficará interditada por três meses até que não esteja mais ameaçada por uma nuvem de cinzas quentes oriundas de um vulcão em erupção, disse o governo na quarta-feira. O vulcão Chaitén, a dez quilômetros da cidade, entrou em erupção em 2 de maio pela primeira vez em milhares de anos, cuspindo cinzas gaz e lava para o alto.

Reuters |

A nuvem de detritos, mantida no alto pela pressão de constantes erupções, pode se dissipar e cair sobre a pequena cidade fantasma.

'A presidente (Michele Bachelet) estabeleceu um período de três meses sob o qual á área de grau zero será mantida isolada', disse o ministro da Defesa, José Goni, a jornalistas.

A coluna de cinzas sobre o Chaitén chegou a 32 quilômetros de altura no início da erupção, mas já baixou para 7.000 metros.

Milhares de pessoas foram retiradas de suas casas num raio de 48 quilômetros da cratera, a 1.220 quilômetros ao sul da capital Santiago.

Imagens de satélite mostram uma faixa branca cortando o céu do sul do continente. Uma grande parte das cinzas foi parar na vizinha Argentina, onde algumas cidades também foram encobertas pelos detritos.

A cadeia chilena de cerca de 2.000 vulcões, 500 dos quais potencialmente ativos, é a segunda maior do mundo, atrás apenas da Indonésia.

(Reportagem de Bianca Frigiani)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG