Votação sobre referendo em Caracas transcorre sem incidentes

Caracas, 15 fev (EFE).- Os habitantes de Caracas compareceram hoje aos colégios eleitorais em um dia ensolarado para votar no referendo sobre reeleição ilimitada de cargos públicos, em um processo que transcorre com normalidade e fluência, na 15ª votação realizada no país em uma década.

EFE |

A jornada eleitoral começou já de madrugada, com a passagem de caminhonetes com o som a todo volume em diversas partes de Caracas para acordar os eleitores na simbólica abertura do referendo sobre a reeleição ilimitada.

Nerys Pérez, testemunha do Bloco do Sim no Liceu Andrés Bello do distrito de Libertador, de Caracas, com cerca de 13 mil eleitores recenseados, destacou a "normalidade e tranquilidade" da jornada, e qualificou o sistema eleitoral venezuelano "como dos melhores do mundo".

"Chávez não vai se perpetuar, porque se o povo não o eleger de novo, ele não fica. O povo decide", afirmou Pérez, que estava no colégio eleitoral, um dos com mais eleitores da capital, desde as 4h30, uma hora antes da abertura oficial dos colégios Inés Luigi, presidente de uma das mesas, afirmou à Agência Efe que o número de pessoas que votaram "já estava se aproximando da metade dos recenseados", e destacou a "fluência do processo".

No colégio eleitoral de Cadafito, em El Marqués, Sucre, no leste de Caracas, e com cerca de três mil eleitores, Neida Ferrer mostrava o dedo mindinho manchado com a tinta para emitir o voto.

"Foi simples, tranquilo e rápido", disse à Efe após ficar uma hora na fila.

Outros, no entanto, mostravam um certo cansaço, após 15 eleições na década de Governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que, se a emenda submetida hoje à consulta for aprovada, poderá concorrer a um terceiro mandato em 2012.

No Colégio Santo Agostinho, com cerca de dez mil eleitores recenseados e um reduto tradicional da oposição, houve um pequeno confronto.

Um grupo de motociclistas "chavistas" chegou às portas do centro e foi rechaçado pelos eleitores que esperavam para entrar no local.

Pouco tempo depois chegaram agentes da Polícia Metropolitana (PM) para pedir aos motociclistas que deixassem o local, enquanto os eleitores gritavam frases como "não é não".

Os centros de votação serão fechados às 18h (19h30 de Brasília), e só permanecerão abertos aqueles nos quais houver pessoas na fila.

EFE afs/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG