Votação sobre casamento gay cria confusão na Argentina

Nesta quarta-feira, senadores votam legislação que, se aprovada, vai legalizar a união civil entre homossexuais

iG São Paulo |

Defensores e opositores do casamento entre pessoas do mesmo sexo trocaram ofensas em frente ao Congresso da Argentina nesta quarta-feira, em Buenos Aires, onde os senadores debatem um projeto de lei que, se aprovado, vai legalizar a união civil entre homossexuais.

Segundo comunidades de defesa dos direitos homossexuais e partidos de esquerda, cerca de cem católicos penduraram nas grades que cercam o Parlamento bandeiras com frases contra a união homossexual e rezaram em voz alta a poucos metros dos favoráveis ao projeto.

Separados por uma avenida, os católicos carregavam imagens da Virgem Maria e cartazes com os dizeres: "Nem união, nem adoção: só homem e mulher", "Sodoma = Argentina" e "Quero um pai e uma mãe".

Sob uma chuva de ovos e laranjas, o pequeno grupo teve que abandonar o lugar escoltado pela polícia enquanto os outros manifestantes gritavam: "Igreja suja, você é a ditadura".

A Comunidade Homossexual Argentina instalou em frente à sede do Legislativo uma tenda, de onde, por meio de autofalantes, difundia o debate que ocorria na casa. As discussões dos parlamentares, iniciadas por volta das 13h (mesmo horário de Brasília), continuam e podem se estender até a madrugada.

Se aprovado, o polêmico projeto de lei legalizará a união civil homossexual e a adoção de crianças por casais do mesmo sexo. A norma já passou pela Câmara dos Deputados. Caso passe pelo Senado, a medida seguirá para o Executivo e a presidente Cristina Kirchner já declarou que não vetará o projeto caso ele seja sancionado no Parlamento.

Com AFP e Ansa

    Leia tudo sobre: argentinacasamento homossexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG