Voo de Miami reabre operação comercial no aeroporto do Haiti

PORTO PRÍNCIPE - O voo AA 377 da American Airlines, procedente de Miami, marcou na sexta-feira a retomada das operações comerciais no aeroporto de Porto Príncipe pela primeira vez desde o terremoto de 12 de janeiro.

Reuters |

Da cabine, os pilotos agitaram a bandeira azul e vermelha do Haiti enquanto taxiavam. Os 136 passageiros que estavam a bordo do Boeing 737 passaram por um terminal fortemente danificado no Aeroporto Internacional Toussaint L'Ouverture, que vinha operando para fins humanitários com ajuda de engenheiros militares e controladores da Força Aérea dos EUA.

AFP
Piloto agita bandeira comemorando retomada de voos comerciais

Piloto agita bandeira comemorando retomada de voos comerciais


Na noite do terremoto, que matou estimados entre 217 mil e 230 mil pessoas, a American Airlines havia operado o último voo comercial que deixou o Haiti antes do fechamento do aeroporto. "Fomos os últimos a sair e os primeiros a voltar", disse a jornalistas Martha Pantin, diretora de comunicações da empresa aérea para a América Latina e o Caribe.

Segundo ela, desde 13 de janeiro a American e sua subsidiária American Eagle fizeram 30 voos humanitários para o Haiti, levando suprimentos e pessoal de ajuda.

Imediatamente depois da tragédia, os militares dos EUA assumiram o tráfego aéreo, coordenando o pouso de centenas de voos vindos de cerca de 35 países. Gradualmente, os controladores americanos vinham transferindo as tarefas para seus colegas haitianos.

A Air France deve retomar seus voos comerciais para o Haiti ainda na sexta-feira, e três outros aviões da American Airlines devem chegar de Miami, Fort Lauderdale e Nova York.

O brigadeiro Darryl Burke, subcomandante do Comando Aéreo Sul dos EUA, disse que a retomada do tráfego aéreo comercial no Haiti é outro sinal de um começo da normalização dos transportes no país caribenho. "Isso traz os negócios e o comércio de volta à nação do Haiti", afirmou.

De um auge de 120 voos humanitários por dia, logo depois do terremoto, o aeroporto passou agora a ter um movimento de aproximadamente 40 voos por dia, e deve manter-se entre os 30 e 40. Na véspera do terremoto, Porto Príncipe havia tido 15 voos.

Funcionários da embaixada dos EUA disseram que a normalização do tráfego aéreo entre os dois países implica que a retirada de civis do Haiti por aviões militares dos EUA será gradualmente eliminada, exceto em casos emergenciais.

Leia mais sobre Haiti

    Leia tudo sobre: haititerremototerremoto no haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG