Os Comandos da Marinha e da Aeronáutica informaram, na noite desta terça-feira, que, até o momento, foram resgatados 41 corpos de vítimas do voo AF 447 da Air France, que sofreu um acidente no último dia 31 de maio enquanto seguia do Rio de Janeiro para Paris. De acordo com os militares brasileiros, 25 corpos estão a bordo da fragata Bosísio, da Marinha brasileira.

Eles estão a caminho de Fernando de Noronha para que sejam submetidos à perícia pela Polícia Federal.Já os 16 primeiros corpos resgatados já estão no arquipélago de Fernando de Noronha e devem ser transportados por uma aeronave Hércules C-130, na tarde desta quarta-feira, para a Base Aérea de Recife.

Em uma entrevista coletiva na noite desta terça-feira, o diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, brigadeiro Ramon Cardoso, afirmou que todas as embarcações que estão nas áreas de buscas têm capacidade de guardar os corpos resgatados, até a chegada de embarcações maiores.

Além disso, segundo o brigadeiro, o Instituto Médico Legal (IML) de Recife também está preparado para receber todos os corpos.

"Toda a parte logística para essa operação estava pronta desde a semana passada. Isso se refere não apenas à Marinha e à Força Aérea, mas também ao IML" afirmou.A aeronave da Air France levava 228 pessoas - de 32 nacionalidades - a bordo. As causas do acidente ainda estão sendo investigadas.

As buscas por vítimas e destroços devem continuar na noite desta terça-feira, concentradas nas áreas onde foram encontrados os corpos.

O brigadeiro Cardoso também afirmou que as autoridades brasileiras não poderão fornecer maiores informações sobre as peças do avião encontradas no mar."Estamos recolhendo e mostrando fotografias. Agora, de que parte fazem, se é cauda, nariz (do avião), não faremos essa análise. Não temos equipe técnica que possa fazer essa análise", afirmou.

Navios franceses
As autoridades brasileiras também informaram que, nesta terça-feira, o governo francês solicitou autorização para que dois rebocadores de alto mar entrassem em águas brasileiras.

Estas duas embarcações contratadas pelo governo francês levam a bordo 40 toneladas de equipamentos para auxiliar nas buscas por destroços.

Além destas embarcações, o navio nuclear Émeraude, o navio de pesquisa Porquoi Pas e o navio anfíbio Mistral já estão a caminho das áreas de buscas.

Estas embarcações devem se juntar aos cinco navios da Marinha brasileira e a uma fragata francesa que já estão no local.

Participam ainda das operações de resgate 14 aeronaves, sendo 12 da Força Aérea Brasileira e duas da França.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.