Voo AF 447: 3 novos corpos foram recuperados, outros avistados (oficial)

Três novos corpos foram recuperados e outros foram avistados durante a madrugada pela Marinha brasileira, informou um porta-voz oficial, indicando que os cadáveres resgatados chegarão neste domingo ao arquipélago de Fernando de Noronha (nordeste) nesta segunda-feira.

AFP |

"Outros três corpos foram localizados esta madrugada e estão sendo transferidos para a fragata 'Constituição", que já transportava os corpos de dois homens recuperados das águas sábado, indicou um porta-voz da Marinha em entrevista à imprensa.

O sexo dos corpos recuperados neste domingo ainda não foi determinado.

"Outros corpos estão sendo avistados pelos navios e devem ser recolhidos do mar nas próximas horas", acrescentou o capitão de fragata Gilsermar Tabosa.

Consultado sobre o número de corpos avistados durante a noite, Tabosa respondeu "Não temos ainda informação de quantos corpos mais fora avistados".

"Os corpos chegarão a Fernando de Noronha na segunda-feira", concluiu.

Inicialmente a fragata "Constituição" transportaria os corpos a cerca de 300 km de Fernando de Noronha para que fosse levados à terra por um helicóptero. "Mas as autoridades navais decidiram que a fragata 'Constituição' deveria se aproximar da corveta 'Caboclo', que recolheu os três novos corpos para transportar os cinco corpos ao mesmo tempo", indicou o porta-voz.

"Isto atrasa a chegada da fragata 'Constituição' a Fernando de Noronha", acrescentou.

Os corpos e restos do avião que começaram a ser recuperados sábado são levados ao arquipélago Fernando de Noronha (a 350 km de Recife), o lugar povoado mais próximo da zona do acidente.

Lá, os corpos e objetos serão catalogados e examinados por peritos, mas a identificação das vítimas será feita na cidade de Recife, disse a Aeronáutica.

Segundo as autoridades brasileiras, ainda não há data prevista para a chegada dos corpos e destroços a Recife.

No total, 14 aeronaves -12 brasileiras e duas francesas- e seis navios -cinco brasileiros e um francês- participam da operação, que se concentra a cerca de 70km a noroeste do último ponto de contato com o avião Airbus da Air France que desapareceu na noite de domingo para segunda-feira com 228 pessoas a bordo, a 1.100 km da costa brasileira.

Na França, o secretário de Estado dos Transportes, Dominique Bussereau, afirmou neste domingo que por enquanto "não se pode privilegiar nenhuma das hipóteses" na investigação desta catástrofe, mas o resgate de corpos pode ajudar muito.

"Desintegração em voo, choque ou impacto contra a superfície do oceano, por enquanto, não existe nenhuma indicação que permita privilegiar uma ou outra hipótese", indicou Bussereau à emissora de rádio RTL.

O escritório francês de Investigação e Análise (BEA por suas siglas em francês), encarregado deste caso, está investigando um possível problema nos sensores de velocidade dos aviões A330, cuja substituição foi acelerada pelo fabricante Airbus.

"Imaginemos que houve uma falha desses sensores, não somente com esta falha podemos explicar o problema do desaparecimento do voo AF447", considerou a autoridade francesa.

"Na verdade, hoje ainda não sabemos nada. Então, por enquanto, não podemos privilegiar nenhuma hipótese", disse Bussereau.

"A novidade é que foram encontrados os destroços, o que nos permitirá, se for confirmado, investigar mais", acrescentou.

gm-mr/ml

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG