Voluntários são libertados no Sudão, confirmam fontes do Governo

(Atualiza as fontes e acrescenta novos detalhes) Cartum, 14 mar (EFE).- Funcionários do Governo sudanês que pediram para não ser identificados confirmaram hoje à Agência Efe a libertação dos quatro voluntários da organização Médicos sem Fronteiras (MSF) que haviam sequestrados na quarta-feira em Darfur, no Sudão.

EFE |

Segundo eles, é bom o estado de saúde dos trabalhadores da MSF - um sudanês, um francês, um italiano e um canadense-, cuja libertação afirmam que foi "incondicional".

O Ministério de Relações Exteriores italiano anunciara ontem à noite a libertações dos voluntários, mas esta informação havia sido negada hoje por autoridades sudanesas, que alegaram ainda estar negociando com os sequestradores.

O sequestro, que até agora não foi assumido por nenhum grupo armado, aconteceu uma semana após o presidente sudanês Omar Hassan Ahmad al-Bashir expulsar 13 ONGs que trabalhavam em Darfur, em represália à ordem de prisão que o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu contra ele por crimes de guerra e contra a humanidade.

O TPI baseia-se no conflito de Darfur, iniciado em fevereiro de 2003 e que deixou mais de 300 mil mortos e 2 milhões de refugiados, nos confrontos entre grupos rebeldes e milícias apoiadas por Bashir, em especial a Janjaweed, apontada como a responsável pelos maiores massacres. EFE az/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG