Washington, 19 nov (EFE) - A vitória de Mark Begich no Alasca ampliou para 58 a maioria dos democratas no Senado dos Estados Unidos e os aproximou dos 60 votos necessários para dar maior liberdade de ação ao presidente eleito Barack Obama. A apuração dos votos emitidos na eleição de 4 de novembro confirmou para Begich, o prefeito de Anchorage, uma vantagem de mais de 3.700 votos em relação ao republicano Ted Stevens.

Stevens, de 85 anos, foi o republicano com mais tempo de mandato no Senado americano, e terminou sua carreira depois que um júri federal o condenou, em outubro, por violações de ética.

Os democratas, que ampliaram nas eleições passadas sua maioria em ambas as Câmaras do Congresso, não tiveram uma maioria qualificada de 60 votos no Senado desde 1978.

Essa maioria permite anular as manobras parlamentares que atrasem a discussão e aprovação de projetos de lei (filibusterismo), e sua obtenção daria a Obama, que assume o cargo em 20 de janeiro, a possibilidade de aprovação rápida de suas iniciativas no Congresso.

A derrota nas urnas poupou aos colegas republicanos de Stevens o penoso trâmite de expulsá-lo do Senado.

Além disso, o revés eleitoral pôs fim a uma era durante a qual Stevens foi uma figura proeminente na política do Alasca, ao mesmo tempo em que dominava alguns dos comitês mais importantes do Senado.

EFE jab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.