Vitória de Gingrich na Carolina do Sul embola disputa republicana

Ex-presidente da Câmara obteve mais de 40% dos votos, abrindo possibilidade de que corrida por candidatura presidencial dure meses

iG São Paulo |

O ex-líder da Câmara de Representantes dos EUA Newt Gingrich venceu no sábado a primária da Carolina do Sul , obtendo um forte resultado sobre o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney e tornando imprevisível a disputa para escolher o rival republicano que disputará com o presidente Barack Obama as eleições presidenciais de novembro.

Terceira prévia: Newt Gingrich vence primária da Carolina do Sul

AP
Pré-candidato republicano Newt Gingrich prepara para deixar palco com sua neta Maggie Cushman depois de discursar sobre vitória na primária da Carolina do Sul (21/01)
Longa disputa: Entenda como funcionam as eleições americanas

Perspectiva: Melhora em índices econômicos é alívio, mas não salvação para Obama

Gingrich conquistou 40,4% dos votos, enquanto Romney ficou com 27,8%, seguido pelo ex-senador Rick Santorum, com 17%, e o congressista ultraliberal Ron Paul, com 13%. A forte vitória permite a Gingrich posicionar-se como uma alternativa a Romney, que há muito tempo apresenta-se como principal candidato, mas que fracassou em persuadir muitos republicanos de que é um conservador autêntico.

Romney esperava que uma vitória na Carolina do Sul o tornasse o candidato quase inevitável do Partido Republicano para a corrida presidencial. Em vez disso, o ótimo resultado de Gingrich abre a perspectiva de que a disputa possa durar meses .

A derrota de Romney ocorreu na mesma semana em que teve sua vitória no caucus de Iowa , primeira prévia republicana realizada em 3 de janeiro, anulada após recontagem dos votos. Após indicar que a disputa havia terminado sem um vencedor , o Partido Republicano no Estado esclareceu no sábado que Santorum a venceu por uma diferença de 34 votos . Na primeira vez em que os resultados foram divulgados, Romney havia sido declarado vencedor com uma diferença de oito votos sobre Santorum.

Até sábado, portanto, a corrida pela candidatura republicana para a presidência não tem um claro vencedor, com Santorum tendo vencido em Iowa, Romney em New Hampshire no dia 10 e Gingrich na Carolina do Sul.

Infográfico: Quem são os principais pré-candidatos republicanos?

Discurso de 20 minutos

Em seu discurso de vitória, Gingrich expôs uma série de contrastes com Obama, advertindo contra seu suposto radicalismo se ganhar um segundo mandato em novembro próximo. "Esta é a eleição mais importante de nossas vidas. Se Barack Obama conseguir ser reeleito, imaginem quão radical será com outros quatro anos", disse em pronunciamento de 20 minutos na sede de sua campanha na capital de Columbia.

Ele também atacou as elites de Washington e Nova York que, segundo sua opinião, estão desligadas da realidade vivida pela maioria dos americanos e de suas preocupações cotidianas. "Essas elites não entendem as necessidades da maioria dos americanos nem se importam com elas", disse Gingrich, acompanhado de sua terceira esposa, Calista, e outros membros de sua família.

Gingrich, que foi recebido com palavras de ordem como "Newt pode ganhar!" e "Viva Newt!" em espanhol, disse que seu objetivo é liderar não uma campanha republicana mas uma "campanha americana" para promover o avanço do país.

Os assuntos-chave nesta disputa serão, segundo Gingrich, a criação de emprego, a independência energética, a segurança nacional, o reforço da política externa dos EUA e a defesa da liderança "excepcional" dos EUA no mundo.

O pré-candidato pediu a ajuda dos eleitores para continuar a marcha rumo à Flórida, que terá suas primárias em 31 de janeiro. "Não temos o dinheiro de outros, mas sim as ideias e o povo", disse em clara alusão ao multimilionário Romney.

Já em seu pronunciamento após a derrota, o ex-governador de Massachusetts pediu o apoio dos eleitores para continuar "a longa luta" rumo à candidatura presidencial republicana. "Ainda temos um longo caminho a percorrer e muito trabalho a fazer, e amanhã (este domingo) vamos para a Flórida", afirmou.

Mudança de voto na última hora

Até a apuração dos votos no sábado, as pesquisas indicavam um empate entre Romney e Gingrich ou uma pequena vantagem do último sobre o primeiro. Mas a vitória com 40% dos votos indica que muitos devem ter mudado seu voto na última hora. "No início ia votar em Romney", disse Helen Selviger, que justificou sua mudança para Gingrich afirmando que "falta a (Romney) a energia de que precisamos agora".

Apesar disso, a eleitora, que foi votar com seu marido David na igreja batista Shandon de Gregg Park, bairro de Columbia, capital da Carolina do Sul, reconheceu que não gosta muito do ex-presidente da Câmara. "Mas ele tem a experiência e o caráter de líder necessários hoje em dia", ressaltou.

*AP, AFP e EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG