ROMA (Reuters) - Um homem que ficou sem casa devido ao terremoto de abril no centro da Itália pediu ao primeiro-ministro Silvio Berlusconi para manter sua promessa e providenciar às vítimas moradia em uma de suas residências. Antonio Bernardini, cuja casa na cidade montanhosa de LÁquila foi destruída no tremor, escreveu à agência de Proteção Civil da Itália dizendo que prefere se alojar em uma das casas luxuosas de Berlusconi na costa da Sardenha ou em sua residência no centro de Roma, se possível.

"Isto não é uma provocação, mas um pedido legítimo baseado nas declarações do primeiro-ministro", disse Bernardini.

Milhares de pessoas que ficaram sem casa pelo terremoto de 6 de abril ainda estão em hospedagens temporárias em hoteis ou tendas.

Bernardini disse que muitos têm sido explorados por donos de hotéis inescrupulosos e se sentem piores do que imigrantes ilegais.

"Estamos em condições frágeis e inferiores", disse Bernardini, cuja mãe morreu há um mês após ele ter retirado ela dos escombros de sua casa. "Eu moro em um pequeno quarto de hotel de minha cidade natal."

"Nos dê um sinal concreto. Se não para mim, então faça com algumas outras vítimas", pediu ao primeiro-ministro.

Berlusconi, que viajará à região afetada de Abruzzo no sábado, recebeu aplausos por sua maneira de lidar com a situação do terremoto de tremor de 6,3, que matou cerca de 300 pessoas, crescendo sua imagem entre seus partidários como um homem de ação.

Durante o resgate, Berlusconi pediu aos italianos receberam as vítimas do terremoto e disse: "Eu também farei o que puder oferecendo minhas casas". Ele prometeu reconstruir L'Áquila dentro de 28 meses e providenciar às vítimas novas casas.

(Reportagem de Daniel Flynn)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.