Nova York, 13 abr (EFE).- As vítimas do esquema de fraude montado pelo investidor americano Bernard Madoff começaram hoje a pedir que se declare sua falência involuntária, para que todos os seus bens, incluindo os particulares, possam se destinar ao pagamento de indenizações.

Parentes do banqueiro se preparam para um possível processo por cumplicidade, podendo até ser condenados à prisão, por colaborarem de alguma forma com uma das maiores fraudes da história, enquanto continuam a venda e a arrecadação de ativos de Madoff para indenizar as vítimas.

Depois da autorização por um juiz de Nova York na semana passada, e apesar da oposição da Procuradoria e da Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC), as vítimas de Madoff podem reivindicar desde hoje sua declaração de falência.

Por isso, e segundo a documentação registrada na Vara de Falências de Nova York, diversos investidores já apresentaram processos afirmando ter perdido um total de US$ 64 milhões.

Esta nova via judicial pode tornar o processo mais longo e mais caro, inclusive porque amplia a categoria de pessoas que podem se declarar vítimas da fraude para incluir aquelas que investiram indiretamente ou através de fundos de investimento nos negócios do nova-iorquino de 70 anos, há um mês na prisão.

Madoff declarou-se culpado, há um mês, em 12 de março, das 11 acusações que podem condená-lo a até 150 anos de prisão.

As autoridades americanas tentam agora reunir seus ativos para indenizar as vítimas com eles. EFE mgl/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.