Santiago do Chile, 11 set (EFE).- Aproximadamente mil pessoas homenagearam hoje as vítimas da ditadura chilena em Santiago, 36 anos depois do golpe de Estado que tirou o presidente Salvador Allende do poder, acendendo milhares de velas no Estádio Nacional, que foi utilizado como centro de tortura por Augusto Pinochet.

As imediações do estádio foram iluminadas pela luz de centenas de velas, em um emotivo ato que transcorreu de forma pacífica e que não contou com a presença de nenhum ocupante dos altos cargos políticos.

O evento fechou os atos de lembrança à morte de Allende, no mesmo dia do golpe militar, cujo ponto auge foi no Palácio de la Moneda, onde a presidente Michelle Bachelet liderou uma cerimônia em sua honra.

Bachelet encerrou o ato no palácio presidencial com as últimas palavras de Allende: "Viva Chile!, Viva o povo!, Vivam os Trabalhadores!". EFE gs/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.