Vítimas criticam resposta do papa a abusos contra menores na Irlanda

DUBLIN - Os grupos de vítimas de abusos sexuais cometidos por padres pedófilos na Irlanda se declararam decepcionados com o conteúdo da carta pastoral em que o papa Bento 16 comenta o assunto.

iG São Paulo |

"Sentimos que a carta fica aquém na hora de abordar as preocupações das vítimas", disse Maeve Lewis, diretora-executiva da One in Four. Na opinião de Lewis, o principal alvo do papa na carta são os padres irlandeses do baixo clero. Ela também achou que o pontífice se esqueceu da responsabilidade do Vaticano nos abusos sexuais contra menores cometidos na Irlanda e no resto do mundo.

Já o primaz da Igreja Católica irlandesa, o cardeal Sean Brady, agradeceu "profundamente" ao papa por sua carta. "Celebro a publicação desta carta. Estou profundamente agradecido ao Santo Padre por sua enorme preocupação e amabilidade", disse o prelado após uma missa em Armagh, na Irlanda do Norte. "É evidente, pela carta, que o papa Bento 16 está profundamente consternado com o que descreve como 'atos criminosos e pecaminosos' e pela maneira como as autoridades da Igreja na Irlanda os abordaram", acrescentou Brady.

Pedido de desculpas

O Papa Bento 16 pediu desculpas às vítimas de abuso sexual de crianças por padres católicos na República da Irlanda. Essa é a primeira declaração pública do Vaticano sobre o abuso sexual de crianças, que vem sendo cometido há décadas. Em uma carta aos fiéis irlandeses, ele reconheceu que as vítimas e suas famílias se sentem traídas pela Igreja. "Vocês sofreram dolorosamente e eu verdadeiramente sinto muito", disse Bento 16. O documento segue revelações de casos de pedofilia na Igreja Católica irlandesa, que abalaram a instituição.

Reuters
asd
A carta foi enviada na sexta, mas o conteúdo só foi revelado hoje


O papa disse que houve "erros sérios" entre bispos na forma como lidaram com as alegações de pedofilia. A carta não pede a renúncia de nenhum bispo, mas alguns já se ofereceram para deixar seus postos. Escândalos envolvendo padres católicos também foram relatados em outros países, incluindo a Alemanha, país natal de Bento 16.

O papa disse que aqueles culpados de abusos devem "responder perante a Deus e aos tribunais propriamente constituídos pelas ações pecadoras e criminais que cometeram". Bento 16 disse que espera que o documento "ajude no processo de arrependimento, cura e renovação".

(Com EFE e BBC Brasil)

    Leia tudo sobre: bento 16bento xvipapapedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG