Visita do rei Abdullah II é adiada, segundo Governo iraquiano

Bagdá, 8 jul (EFE).- A visita do rei Abdullah II da Jordânia ao Iraque, prevista para amanhã foi adiada sine die, disse hoje o porta-voz do Governo iraquiano, Ali al-Dabbagh, à agência independente Aswat al-Iraq.

EFE |

A visita foi adiada "devido a compromissos pessoais", disse o porta-voz, em suposta referência à agenda do monarca.

A Casa Real e o Governo da Jordânia não tinham confirmado oficialmente a visita, considerada pouco segura e que, caso fosse confirmada, seria a primeira de um líder do mundo árabe desde 1991.

Mesmo assim, Dabbagh disse que o Governo iraquiano receberá com agrado qualquer nova data que o monarca decidir para visitar o Iraque.

Nenhum líder árabe fez visitas oficiais ao Iraque desde a Guerra do Golfo de 1991, quando uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos lançou um ataque contra este país após o mesmo ter invadido o vizinho Kuwait.

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, realizou uma visita oficial à Jordânia no início de junho, onde tentou convencer Abdullah para que realizasse esta viagem ao país.

Após essa visita, a Jordânia decidiu reabrir sua embaixada no Iraque, quase cinco anos após um brutal atentado, em agosto de 2003, contra a anterior representação em Bagdá, ação na qual morreram doze pessoas.

Os líderes árabes se abstiveram de visitar Bagdá após a queda do regime do ditador Saddam Hussein por razões de segurança, mas a queda dos níveis de violência impulsionou alguns Estados, como a Jordânia e os Emirados Árabes Unidos, a enviar novamente embaixadores à capital iraquiana. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG