Visita de Lula estreita relações entre Brasil e República Tcheca

Praga, 12 abr (EFE).- O Brasil e a República Tcheca assinaram hoje em Praga um acordo de cooperação comercial e industrial, centrado no setor energético, principal tema da agenda da Presidência tcheca da União Européia (UE) no primeiro semestre de 2009.

EFE |

O convênio foi assinado pelos ministros de Relações Exteriores dos dois países com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu colega tcheco, Vaclav Klaus.

Com a visita de hoje a Praga, Lula se tornou o primeiro presidente brasileiro a visitar oficialmente a República Tcheca, país que saiu há duas décadas do bloco comunista e hoje é um dos mais avançados dos novos membros da UE.

Sua escala em Praga foi um grande trunfo diplomático para Lula, já que o Brasil é o principal motor econômico do Mercosul, que negocia um acordo de associação com a UE, cuja Presidência rotativa será assumida pela República Tcheca em 1º de janeiro de 2009.

O novo acordo econômico, assinado no Castelo de Praga (sede da Presidência tcheca), prevê a cooperação energética no setor dos biocombustíveis, sobre o qual Lula lançou uma cruzada mundial para contribuir com o desenvolvimento dos países pobres.

"Este tema não estava no acordo econômico assinado por Vaclav Klaus (então primeiro-ministro do país) no Brasil, em 1994", disse à Agência Efe Acir Pimenta Madeira Filho, coordenador de imprensa do Ministério de Relações Exteriores.

Os tchecos, que agora estimulam o setor de biocombustíveis e que farão da energia um dos temas da agenda da Presidência rotativa da UE, receberam com interesse a mensagem de Lula.

"A República Tcheca tem grande interesse em aumentar ao máximo suas relações com o Brasil", afirmou hoje Klaus.

O político conservador foi responsável por impulsionar essas relações nos anos 1990, quando a República Tcheca saía de uma economia planificada alinhada à antiga União Soviética.

"Esse acordo que assinamos hoje é o início extraordinário do que vai acontecer daqui para frente (...) mostrei ao presidente Klaus a quantidade de oportunidades que temos para fazer negócio entre Brasil e República Tcheca", destacou Lula após a assinatura.

Atualmente, o Brasil é o principal parceiro econômico da República Tcheca na América Latina, com trocas comerciais de 371 milhões de euros em 2007, apesar de os investimentos diretos tchecos serem apenas simbólicos.

No passado, além de produtos agropecuários, as empresas tchecas compraram no Brasil aviões da Embraer.

Os tchecos, por sua parte, exportam ao Brasil equipamentos para fábricas de açúcar e indústrias de cimento.

Lula convidou Klaus para realizar uma visita oficial ao Brasil, "para poder comprovar a nova realidade brasileira, que não tem nada a ver com a que conheceu em 1994".

O acordo também inclui uma intensa cooperação em áreas como normas e padrões técnicos (metrologia), informática, transporte e agricultura.

Brasil e República Tcheca também assinarão em breve um acordo sobre academias diplomáticas, que contempla o intercâmbio de alunos e professores entre o Instituto Rio Branco e o Palácio Cerninsky, sede do Ministério de Assuntos Exteriores tcheco.

Lula também teve hoje um encontro a portas fechadas com o cardeal arcebispo de Praga, Miloslav Vlk, e visitou o Mosteiro de Strahov e a Igreja da Nossa Senhora da Vitória.

O presidente e a primeira-dama, Marisa Letícia, também visitaram a Ponte Carlos, uma das jóias arquitetônicas da capital tcheca.

A comitiva brasileira deixará Praga hoje, às 18h20 horário local (13h20 em Brasília), rumo ao Brasil. EFE gm/wr/hd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG