Por Jorge A. Otaola BUENOS AIRES (Reuters) - A capital argentina tinha um domingo mais arejado, com melhora de visibilidade por conta de um suave vento que ajudava a renovar o ar no sexto dia de uma nuvem de fumaça produzida por incêndios intencionais em pastagens nas regiões próximas.

Buenos Aires estava submetida a um manto cinza, que segundo autoridades era benigno devido à origem orgânica. A fumaça era produzida pela queima de pastos realizada por produtores agrícolas para limpar os campos e acelerar a incorporação de nutrientes pelo solo.

O sol aparecia com um pouco mais de força e uma brisa nordeste, de apenas quatro quilômetros por hora, servia para dispersar muito lentamente a fumaça instalada.

'Os trabalhos continuam' para combater o fogo, disse neste domingo a jornalistas a secretária do Meio-Ambiente, Romina Picolotti. 'A mudança dos ventos ajuda a despejar parte da fumaça sobre os centros populacionais.'

Os hospitais portenhos atenderam dezenas de pessoas nos últimos dias por causa do problema, afirmou o governo da cidade, principalmente por casos de rinite, problemas respiratórios e conjuntivite. Ninguém foi internado.

Ainda assim, Buenos Aires continua sob alerta sanitário amarelo.

A brisa sobre a capital argentina desviava parcialmente a fumaça para o sul da província de Santa Fé, afetando principalmente a cidade portuária de Rosário, e também para o centro da província de Buenos Aires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.