Visão ocidental sobre Hezbollah mudou, diz nº 2 do partido

Os países ocidentais já não consideram o Hezbollah xiita como pária e garantem que vão dialogar com o grupo, se este vencer as eleições legislativas libanesas de 7 de junho, declarou o número dois do partido, nesta quarta-feira, em entrevista à AFP.

AFP |

"Os países ocidentais se apressam para falar conosco e farão isso ainda mais no futuro", declarou o subsecretário geral do "Partido de Deus", Naim Kassem.

O responsável insistiu em que seu partido não teme ser boicotado pela comunidade internacional, em caso de vitória nas eleições legislativas, como aconteceu com o Hamas palestino, em 2006.

"Embaixadores europeus nos garantiram, diretamente, que teriam relações normais com qualquer governo formado pela 'minoria parlamentar atual', liderada pelo Hezbollah", declarou Kassem.

"Um dos embaixadores europeus nos informou que os norte-americanos tratarão com qualquer governo, ainda que desejem a vitória da maioria antissíria", acrescentou.

O Hezbollah figura na relação de organizações terroristas dos Estados Unidos, enquanto que Londres, em 2008, colocou em sua lista negra apenas o braço armado do partido.

"Até o momento, a posição do Hezbollah é não se reunir com responsáveis americanos à espera de uma mudança nos fatos", declarou Kassem.

rd-jz/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG