Viradouro aposta na alegria mexicana para conquistar o carnaval carioca

Rio de Janeiro, 4 fev (EFE).- A Viradouro leva para a avenida um desfile inspirado na cultura mexicana, com destaque para a intensidade da obra de artistas como Diego Rivera e Frida Kahlo, celebrações como a do Dia de Finados e a influência da civilização pré-colombiana.

EFE |

Com o enredo "México - Paraíso das cores, sob o signo do sol", interpretado por Wander Pires, a escola de Niterói vai desfilar com cerca de 4 mil componentes divididos em 34 alas e oito carros-alegóricos.

Quarta escola a entrar na avenida no domingo de Carnaval, a Viradouro mostra fantasias coloridas que representam a alegria do povo mexicano. Sua missão é quebrar o jejum de apenas um título conquistado em 1997.

Para os carnavalescos Junior Schall e Edson Pereira, responsáveis por levar um pouco da cultura mexicana para a Sapucaí, é uma experiência "enriquecedora" contar a história desse país.

"O México tem uma cultura milenar muito rica e deve ser conhecida por todas as pessoas que gostam de Carnaval e que acompanham os desfiles no sambódromo ou pela televisão. Essa é uma oportunidade de vivenciar um pouco da história desse maravilhoso país", explicou Schall.

O desfile começa com o impacto visual das obras coloridas de Diego Rivera e Frida Kahlo, passando pelas civilizações pré-colombianas, os maias e os astecas, até a colonização espanhola.

A bateria, com seus integrantes vestidos de piratas do Caribe, vai representar a guerra pelo ouro no mar caribenho. Avançando, a escola representará o cotidiano do povo mexicano, com destaque para as comidas e as festas, sem esquecer da revolução liderada por Emiliano Zapata.

Para concluir o enredo, a escola vai mostrar as comemorações do Dia de Finados, uma grande "celebração da vida" e a fé inabalável da população mexicana na Virgem de Guadalupe. EFE sf/rd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG