Mais de 100 manifestantes ficam feridos em protestos após líder oposicionista ter sido expulsa de onde morava há 40 anos

Pelo menos três pessoas morreram num ataque suicida a bomba em Bangladesh neste sábado, enquanto mais de 100 manifestantes ficaram feridos em protestos após a líder oposicionista ter sido expulsa da casa onde morava há 40 anos.

A polícia jogou gás lacrimogêneo e atirou com balas de borracha para dispersar os manifestantes em Daca, na capital. Eles tentavam evitar que a ex-premiê Begum Khaleda Zia fosse expulsa de casa.

Houve cenas de violência e mais pessoas feridas em confrontos com a polícia em outras cidades.

Em Khustia, a 300 km da capital Daca, pelos menos três pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas num ataque suicida a bomba, segundo a polícia. Um legislador do partido de situação estava entre os feridos.

A polícia não comentou se o ataque a bomba teria relação com os protestos por causa da expulsão de Khaleda da sua casa.

O local onde a ex-premiê mora lhe foi emprestado pelo governo em 1982, depois que o seu marido, o ex-presidente general Ziaur Rahman, foi morto durante um golpe. O casal morava na casa havia anos.

O atual governo cancelou o empréstimo no ano passado e pretende alojar no lugar famílias de militares mortos num motim em Daca.

Em entrevista, Khaleda se disse não "somente humilhada, mas envergonhada pelo governo." "Agora eu busco justiça no povo."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.