Violência ressurge em área sagrada de Jerusalém

JERUSALÉM (Reuters) - A polícia israelense entrou neste domingo no complexo que abriga a Mesquita de Al Aqsa em Jerusalém depois que palestinos jogaram pedras contra visitantes de uma área sagrada da cidade. O confronto aumentou a tensão que já estava elevada na cidade por causa do anúncio de Israel de um projeto de inclusão de lugares sagrados da Cisjordânia em um plano do patrimônio judaico.

Reuters |

Testemunhas disseram que a violência começou depois que palestinos atiraram pedras contra visitantes que percorriam a parte sagrada para os judeus. Autoridades palestinas afirmaram que se espalharam rumores de que judeus religiosos planejavam entrar no Complexo de Al Aqsa, terceiro local mais sagrado do Islã.

O Muro das Lamentações (também conhecido como o Muro Ocidental), é um local de orações dos judeus, reverenciado como ruína de uma parede perimetral do segundo Templo bíblico, e fica logo abaixo do complexo muçulmano.

A polícia israelense prendeu sete palestinos. Quatro policiais de Israel ficaram feridos por pedras, disse o porta-voz Micky Rosenfeld. Fontes médicas palestinas afirmaram que três palestinos foram levados com ferimentos causados por balas de borracha. Outros estão sendo tratados por terem inalado gás lacrimogêneo.

(Reportagem de Ali Sawafta, em Ramallah, e de Allyn Fisher-Ilan e Tom Perry, em Jerusalém)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG