O ministro das Finanças do México, Agustín Carstens, disse que a criminalidade e a violência tiveram um impacto significativo na economia do país, reduzindo seu crescimento em 1%. Segundo Carstens, o clima de insegurança vem impedindo que empresas invistam no país e, assim, são criados menos empregos.

O governo prevê que a economia mexicana cresça 2,8 % em 2008.

Pelo menos 2,7 mil pessoas morreram e 300 foram seqüestradas no México este ano, a maioria em violência ligada ao narcotráfico. O índice de seqüestros é um dos mais altos do mundo.

O ministro mexicano afirmou que as empresas estão tendo que gastar um montante extra de 10% em segurança e proteção da propriedade.

Os investidores estariam mais dispostos a colocar seu dinheiro no México se as leis fossem mais rigorosas, disse Carstens, que propôs ainda um regime mais duro para lidar com lavagem de dinheiro.

Mais de 30 mil soldados foram mobilizados no México para combater o narcotráfico e a violência que ele gera. Mas isto ainda não fez com que as ruas ficassem mais seguras e há uma pressão crescente da opinião pública por resultados.

No sábado, foram realizados em todo o país atos públicos para protestar contra a onda de seqüestros e assassinatos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.