Violência no sul das Filipinas afeta mais de meio milhão de pessoas, diz CICV

Genebra, 28 set (EFE).- Mais de meio milhão de civis foram afetados pela última onda de combates registrados na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, desde meados de agosto, afirmou hoje o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

EFE |

"Não podemos dizer que todos eles estejam deslocados atualmente porque as pessoas vão e vêm, uma situação que se prolonga há décadas, mas desta vez, os deslocamentos dos civis que fogem da violência têm uma duração maior", disse o chefe da delegação do CICV nas Filipinas, Felipe Donoso.

"Este conflito esquecido e de baixa intensidade tem, no entanto, conseqüências humanitárias de alta intensidade", disse Donoso.

Desde a retomada, em 12 de agosto, dos combates entre as forças do Governo filipino e os insurgentes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI), que lutam por um Estado independente, o CICV dobrou seu pessoal em Mindanao e já deu assistência humanitária a mais de 120 mil pessoas.

Donoso destacou que a implantação do CICV na região há 26 anos permitiu à entidade chegar a um bom entendimento com as partes em conflito. EFE vh/wr/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG