Violência deixa novo cessar-fogo em dúvida em Gaza

A violência registrada nesta quarta-feira em torno da cercada Faixa de Gaza, dominada pelo Hamas, após uma trégua de dois dias, levanta questionamentos sobre a possibilidade de que Israel e o grupo radical palestino renovem um cessar-fogo.

AFP |

Os grupos armados palestinos lançaram pelo menos 16 foguetes a partir da Faixa de de Gaza que explodiram no sul de Israel desde a noite de terça-feira, sem provocar vítimas.

Os ataques aconteceram ao fim de uma trégua de 24 horas decretada pelo Hamas, que desde junho de 2007 controla a Faixa de Gaza, e outros grupos armados palestinos, que tinha como objetivo permitir a passagem de ajuda humanitária do Egito para o território palestino.

As brigadas Ezzedin al-Qassam, braço armado do Hamas, reivindicaram em um comunicado os lançamentos de 21 foguetes e obuses contra três cidades do sul de Israel "para vingar a morte de três combatentes" na véspera em uma troca de tiros com soldados israelenses.

De acordo com fontes militares de Israel, os três membros do Hamas foram mortos quando colocavam explosivos a 50 metros da fronteira, perto da passagem de Erez.

O vice-ministro da Defesa de Israel, Matan Vilani, advertiu que os ataques eram intoleráveis. "Vamos tomar as medidas necessárias para impedi-los".

De acordo com um porta-voz do Exército israelense, nove obuses de morteiro e sete foguetes disparados por grupos armados palestinos atingiram o território do país, sem provocar vítimas.

No entanto, um foguete atingiu uma casa de kibbutz próximo da Faixa de Gaza.

A Jihad Islâmica reivindicou os disparos de sete foguetes.

O Exército de Israel decidiu manter fechados os pontos de passagem para Gaza e impedir a entrada de ajuda humanitária, depois que os foguetes foram lançados contra o sul de seu território.

"Em conseqüência do lançamento de obuses de morteiro e foguetes, os pontos de passagem permanecerão fechados nesta quarta-feira", declarou à AFP o comandante Peter Lernes, porta-voz das atividades israelenses nos territórios palestinos.

Israel anunciara na véspera a intenção de liberar as passagens de Kerem Shalom e de Karni para permitir a entrada de ajuda humanitária procedente do Egito.

A chanceler israelense, Tzipi Livni, viajará na quinta-feira ao Cairo para debater com o presidente egípcio Hosni Mubarak a possibilidade de renovar a trégua.

O gabinete de segurança de Israel também se reunirá para discutir a situação em Gaza e os meios jurídicos para bloquear as transferências de fundos destinadas às organizações palestinas consideradas "terroristas" por Israel.

jlr-pa/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG