Vinte palestinos morreram nos bombardeios israelenses nas últimas 48 horas

Gaza, 9 jan (EFE).- Pelo menos 20 palestinos, entre eles vários civis, morreram nas últimas 12 horas nos bombardeios israelenses na Faixa de Gaza, enquanto o Exército de Israel fechava a Cisjordânia por 48 horas diante do temor de distúrbios.

EFE |

Também nas últimas 12 horas, mais de 20 foguetes disparados a partir da Faixa de Gaza atingiram alvos no território de Israel.

Seis das vítimas fatais em Gaza, todas elas civis, morreram em um ataque aéreo à localidade de Beit Lahia, no norte da Faixa de Gaza, informaram fontes médicas palestinas, em um ataque no qual outras 18 pessoas ficaram feridas, segundo as testemunhas.

Os seis são parentes de um conhecido ativista local da Frente Democrática para Libertação da Palestina (FDLP), integrado na Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Outros três civis, também de uma mesma família, morreram perto da meia-noite em um ataque de artilharia, desta vez no bairro de Tufah, na Faixa de Gaza.

Entre estes mortos, há uma mulher de nacionalidade ucraniana, identificada como Albera Vladimir, e seu filho de 2 anos. O marido dela, um médico palestino, ficou gravemente ferido.

Na localidade de Al-Zawaida, no centro de Gaza, outro bombardeio aéreo matou três civis mais e feriu sete.

Muawiya Hassanein, chefe do serviço de emergência na Faixa de Gaza, informou que o número de feridos hoje supera os 60.

Os hospitais registraram a entrada de pelo menos mais dez cadáveres, entre eles o do um ex-cinegrafista do histórico líder palestino Yasser Arafat e dois parentes dele.

A Força Aérea israelense atacou também a casa do subchefe de Polícia de Gaza, Abu Obeida al-Jarrah, mas não se sabe seu estado.

Desde 27 de dezembro Abu Obeida substitui no cargo Tawfiq Jaber, morto nos primeiros bombardeios.

Desde o início da ofensiva israelense morreram 779 palestinos e 3,2 mil ficaram feridos.

Em seu informe diário, o Exército israelense confirmou ter atacado mais de 50 "alvos terroristas", como plataformas de lançamento de foguetes, armazéns e oficinas de armas.

Porta-vozes militares confirmaram à Efe a queda de pelo menos 20 foguetes em território israelense: três próximo a Sderot, dois em zonas abertas de Ashkelon, dois na região de Eshkol, e quatro em áreas desabitadas de Be'er Sheva, sem causar vítimas.

Segundo o serviço de segurança interna, desde o início da ofensiva israelense, caíram em Israel 790 foguetes.

Alem disso, o Exército comunicou o fechamento do território da Cisjordânia a partir da meia-noite passada e durante 48 horas, por temor de que os palestinos desta região protagonizem distúrbios em resposta ao conflito em Gaza.

Ficam isentos do fechamento, segundo um comunicado do Exército, "os casos excepcionais humanitários e médicos, que poderão passar com a devida autorização". EFE sar-elb-amg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG