Um foco de gripe suína causou a morte confirmada de 20 pessoas e outras 40 possíveis no México, onde aulas foram suspensas e uma campanha de vacinação maciça é realizada na capital, enquanto a preocupação chega aos Estados Unidos, onde há pelo menos sete infectados.

O secretário de Saúde do México, José Angel Córdova, explicou à rede de televisão Milenio que o sistema de saúde mexicano mantém em observação 943 pacientes que apresentam sintomas semelhantes aos da gripe suína detectada nos Estados Unidos e no México.

Já a Organização Mundial de Saúde (OMS), com sede em Genebra, estimou nesta sexta-feira que a doença causou 18 mortes no México, enquanto que nos Estados Unidos foram detectados sete casos - cinco na Califórnia e dois no Texas -, nenhum deles grave.

Como medida preventiva, a Prefeitura da capital mexicana, onde vivem oito milhões de pessoas, lançará nas próximas horas uma grande campanha de vacinação, visando principalmente crianças e idosos.

As aulas do pré-escolar até o universitário foram suspensas na Cidade do México e no estado do México, que formam uma área metropolitana de 20 milhões de habitantes, uma das maiores do mundo.

Devido ao foco de gripe suína, o presidente Felipe Calderón suspendeu uma viagem, nesta sexta-feira, pelo estado de Chihuahua, na fronteira com os Estados Unidos, confirmou uma fonte da Presidência.

Segundo as autoridades, qualquer pessoa que apresente os sintomas deve ficar em casa e solicitar ajuda médica. O governo pediu à população que evite locais de grande concentração, não use transportes públicos, utilize máscaras especiais e lave as mãos.

No aeroporto da Cidade de México, brigadas médicas foram mobilizadas, e questionários são aplicados a todos os viajantes sobre seu estado de saúde no momento do embarque ou da saída do avião, e diante de qualquer sintoma de gripe pede-se que recebam assistência médica e cancelem a viagem.

Os sintomas da doença são temperatura corporal superior a 39 graus, dor de cabeça e dores musculares intensas, cansaço, coriza, espirros e irritações na garganta.

Em Genebra, a presença da gripe suína no México e nos Estados Unidos levou à ativação da chamada sala de operações da OMS, que coordena ações para situações de emergência sanitária.

O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos também expressou sua preocupação ante o foco de febre suína.

"É óbvio que estamos muito preocupados. Estabelecemos centros de operações de emergência. Esta é a primeira vez que observamos uma cepa aviária, duas cepas suínas e uma cepa humana", declarou à AFP Dave Daigle, porta-voz da instituição ao explicar a estrutura do vírus detectado nos Estados Unidos.

A Casa Branca indicou leva a sério o alerta de gripe suína nos Estados Unidos e no México, e o presidente Barack Obama foi informado da situação, disse um porta-voz nesta sexta-feira.

"A Casa Branca leva o caso a sério e acompanha sua evolução. O presidente foi totalmente informado", afirmou Reid Cherlin.

A gripe suína, um vírus gripal do tipo A, pode se expandir de maneira muito rápida.

Esse vírus pode provocar o surgimento de um novo vírus da gripe, que seja tão virulento quanto o da gripe aviária, e tão transmissível quanto o da gripe humana.

Ele poderia ter as características necessárias para desencadear uma pandemia de gripe.

sem/ol/ad/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.