Raúl Reyes se dirige a Rafael Correa é divulgado na Colômbia - Mundo - iG" /

Vídeo em que Raúl Reyes se dirige a Rafael Correa é divulgado na Colômbia

Bogotá, 16 abr (EFE).- Um vídeo no qual o porta-voz internacional das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Raúl Reyes, morto em 1º de março deste ano, se dirige ao presidente equatoriano, Rafael Correa, começou a circular nesta quarta-feira por meios de comunicação da Colômbia, em meio a um aumento da tensão bilateral.

EFE |

Uma mensagem de "Reyes" a Correa tinha sido divulgada pelas Farc em seu site nos dias posteriores à eleição dos membros da Assembléia Constituinte equatoriana, em setembro do ano passado.

No entanto, o vídeo não era conhecido até que ontem à noite o canal de TV "RCN" o divulgou.

Na gravação, "Reyes", em um acampamento na selva e com traje militar, dirige uma "fraterna saudação boliviariana" a Correa das "trincheiras guerrilheiras", felicita o presidente equatoriano pela vitória "contundente" obtida nessas eleições e o convida a "estreitar relações" com as Farc.

"Reyes" morreu em 1º de março deste ano em uma ação militar colombiana a seu acampamento, em território equatoriano, a poucos metros da fronteira entre os dois países, ação que levou Correa a romper relações diplomáticas com a Colômbia em 3 de março.

O porta-voz internacional da guerrilha afirma no vídeo que a vitória eleitoral do partido de Correa é um "triunfo inexorável de um povo que disse sim para as mudanças profundas, com o objetivo de iniciar a construção de um novo país em paz, com soberania e justiça social, rumo ao socialismo".

"Reyes" também manifesta na mesma gravação sua "disposição política" de consolidar as "relações de irmandade, amizade e boa vizinhança na fronteira".

Com as relações rompidas, a tensão entre Colômbia e Equador, longe de diminuir, aumentou. O Governo colombiano, inclusive, acusou Correa de ser permissivo com as Farc e de dificultar ações militares contra a guerrilha.

O presidente equatoriano, no entanto, negou as acusações e se queixou à Organização dos Estados Americanos (OEA). EFE rrm/mac/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG