Um executivo na Grã-Bretanha foi inocentado da acusação de ter estuprado uma estudante depois que os jurados assistiram a um vídeo da relação sexual gravado em um celular. A mulher de 27 anos disse ao júri que Gary Taylor foi a seu apartamento levando cocaína e uma garrafa de vinho, e que a forçou a fazer sexo oral e a violentou a seguir, em setembro do ano passado.

Mas na quarta-feira, durante o julgamento, em Londres, a advogada de defesa de Taylor exibiu um vídeo filmado pelo acusado e também pela suposta vítima no celular dele.

No trecho mostrado ao júri, o executivo aparece de cuecas gesticulando para a jovem filmá-lo enquanto ele tem uma ereção.

'À vontade'

O filme mostra ainda parte da relação de sexo oral que os dois mantiveram.

"Você está bastante ativa nesta relação, está fazendo tudo com dedicação", disse a advogada à estudante durante a audiência no tribunal.

"Vocês parecem muito íntimos e muito à vontade um com o outro", concluiu a advogada.

A jovem não havia visto ainda o vídeo e negou que estivesse respondendo ao executivo com desenvoltura e dedicação.

Mas a promotoria não encontrou outras provas para incriminar Taylor.

O executivo havia sido preso no apartamento da estudante, depois que a polícia foi chamada por vizinhos por causa de barulho.

Leia mais sobre estupro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.