Londres, 29 abr (EFE).- Um vídeo disponibilizado no fim de semana passado no YouTube em que o primeiro-ministro do Reino Unido, o trabalhista Gordon Brown, anunciava um polêmico plano de reforma dos ingressos dos parlamentares gerou críticas de alguns membros de seu partido.

Os três minutos de gravação nos quais Brown propunha que se pagasse aos parlamentares um salário fixo simplesmente por assistir às sessões da Câmara dos Comuns são a pior publicidade para o líder trabalhista, em razão da rejeição que o plano causou.

"(O vídeo) foi muito prejudicial", disse o ex-ministro Charles Clarke, enquanto outro ex-dirigente trabalhista se perguntou como alguém deixou Brown lançar um vídeo com uma proposta que gerou forte oposição até mesmo entre seus correligionários.

A polêmica em torno ao vídeo não podia chegar em pior momento para Brown: as últimas pesquisas indicam que o Partido Conservador tem uma vantagem de 19 pontos na corrida eleitoral. EFE jr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.