Vídeo amador pode ajudar investigação do naufrágio do Costa Concordia

Imagens feitas na sala do comando em 13 de janeiro, divulgadas por canal de TV italiano, mostra comandante e adjuntos desnorteados

iG São Paulo |

Um vídeo amador feito na noite de 13 de janeiro na sala de comando do cruzeiro Costa Concordia, que naufragou no mês passado na Itália , mostra o comandante e seus adjuntos desnorteados, um pouco depois da colisão da embarcação - e pode proporcionar novos elementos à investigação sobre o naufrágio.

Leia também: Capitão do Costa Concordia continuará em prisão domiciliar

AP
Navio ficou encalhado em banco de areia próximo à ilha de Giglio, na Itália (14/1/2012)

O jornal TG5 do Canale 5 difundiu o vídeo de nove minutos até então desconhecido e cujo autor não foi identificado. As autoridades responsáveis pela investigação do naufrágio têm a intenção de requisitar as imagens para poder estudá-las.

"É uma novidade para nós. Eu o vi pela primeira vez. Já interrogamos as pessoas que estavam na sala de comando e elas não falaram da existência deste vídeo", afirmou o procurador Francesco Verusio, citado pela agência ANSA.

Na semi-penumbra do comando, iluminado apenas pelas luzes de emergência e das telas dos equpamentos, é possível ouvir o comandante Francesco Schettino e alguns ajudantes falando num nervosismo crescente e descoordenado, à medida que as notícias chegavam das salas das máquinas.

Era por volta das 22h15, meia hora depois da colisão do navio nas rochas. "Os motores não respondem e vão para o inferno", diz uma voz. "Praticamente tem uma rachadura e a água está entrando", acrescenta.

"Estamos à deriva em direção ao litoral, a quantos metros estamos?", pergunta outra voz. Mais tarde, outra pessoa anuncia: "Comandante, os passageiros estão colocando os coletes salva-vidas".

Schettino responde simplesmente em dialeto napolitano: "E vabbuo ("tudo bem, de acordo"). Pouco depois do anúncio para abandonar o navio, uma voz angustiada pergunta: "Que vamos fazer? Que vamos fazer?"

Na terça-feira, um tribunal de Florença, na Itália, decidiu que o capitão do cruzeiro continuará em prisão domiciliar, negando o pedido da promotoria de Grosseto, que solicitava a medida de prisão cautelar, informou a imprensa italiana.

O capitão do Costa Concordia é acusado, entre outros crimes, de homicídio culposo múltiplo e abandono de embarcação.

Schettino foi preso em 14 de janeiro , mas a juíza de instrução Valeria Montesarchio decretou no dia 17 sua prisão domiciliar por considerar que não havia risco de fuga. No entanto, quatro dias depois, a promotoria de Grosseto recorreu da decisão da magistrada por acreditar que Schettino poderia fugir e manipular as provas. Já a defesa de Schettino pediu a anulação da prisão domiciliar e sua libertação.

Asssista ao vídeo (em italiano):

O Costa Concordia, no qual viajavam 4.229 pessoas, incluindo 3.209 passageiros, encalhou depois que Schettino decidiu, supostamente sem autorização, aproximar-se da Ilha de Giglio. Na aproximação, a embarcação chocou-se contra rochas, o que provocou a ruptura do casco do cruzeiro, que chegou a se inclinar em 80 graus.

Entenda: Saiba o que aconteceu com o Costa Concordia

Naufrágios: Veja comparação entre Costa Concordia e do Titanic

Até o momento, 17 corpos foram retirados do navio , enquanto 15 pessoas continuam desaparecidas: quatro italianos, seis alemães, dois franceses, dois americanos e um indiano.

Com AFP

    Leia tudo sobre: costa concordiaitálianavioilha de giglioschettinonaufrágiovídeo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG