Os dois candidatos a vice-presidência do Estados Unidos se encontraram na noite desta quinta-feira para o único debate entre eles na campanha para a Casa Branca. Tanto o democrata Joe Biden quanto a republicana Sarah Palin procuraram se aproximar da classe média quando discutiram economia e política doméstica e defenderam as plataformas de seus líderes de chapa em política internacional.

Este talvez tenha sido um dos mais aguardados debates entre candidatos a vice-presidente da história das eleições americanas.

A performance da republicana Sarah Palin, governadora do Alasca, era muito esperada. Considerada inexperiente, Palin havia dado entrevistas onde revelou dificuldades em assuntos como economia e relações internacionais.

Mas a atuação do democrata Joe Biden, senador pelo Estado de Delaware, também era motivo de apreensão entre seus correligionários. Biden é conhecido por suas gafes.

Economia
O primeiro assunto do encontro entre o senador democrata Joe Biden e Sarah Palin foi a crise econômica nos Estados Unidos.

Logo em sua primeira fala, Biden tentou ligar a atual crise à política econômica do presidente George W. Bush, classificando-a como " a pior que os EUA já tiveram".

O senador também elogiou a atuação de Obama nas negociações para a aprovação do pacote para salvar empresas em dificuldades no Senado.

"Eu e Barack Obama vamos focar nossa política econômica na classe média", disse Biden, que também citou o fato de McCain ter afirmado há duas semanas que as bases da economia americana eram sólidas.

A governadora do Alasca, que no início do debate perguntou a Biden se poderia chamá-lo de "Joe", argumentou que o líder de sua chapa, John McCain, já havia alertado há dois anos para a crise nas empresas de hipoteca Freddie Mac e Fannie Mae.

Palin também elogiou a atuação de McCain durante a crise, citando o fato de o candidato ter cancelado sua campanha para tratar do assunto.

Em um discurso voltado para o "americano comum", a governadora do Alasca criticou Wall Street e pediu que as pessoas fossem "responsáveis e que não assumam dívidas que não possam pagar".

"Não vamos deixar isso acontecer de novo. Vamos fazer o que nossos pais nos disseram quando nos deram nosso primeiro cartão de crédito", disse Palin, que, segundo analistas, se apresentou muito mais segura do que em entrevistas recentes.

Em diversos momentos, a republicana apresentou sua chapa como a que traria "a mudança" para a política norte-americana, um tema que foi muito explorado por Barack Obama em sua campanha.

"Respeito toda a experiência do senador Biden, mas as pessoas estão cansadas dessa política. Precisamos de algo novo", disse Palin, que foi muito criticada por sua suposta falta de experiência.

Mais informal que seu adversário, Palin se referia ao candidato democrata, Barack Obama, pelo seu primeiro nome.

Assim como sua adversária, Joe Biden citou várias vezes seu compromisso com a classe média e acusou McCain de defender a desregulamentação econômica que teria levado à atual crise.

Mudanças climáticas
Governadora de um Estado rico em recursos naturais, Sarah Palin insistiu em que os Estados Unidos consigam sua "independência energética" e se colocou a favor da exploração dos recursos petrolíferos no Alasca. "Perfure, baby, perfure", brincou.

Quando perguntada sobre as mudanças climáticas pelas quais o planeta tem passado, Palin disse que o Alasca sente de perto essas mudanças, mas afirmou que "não quer discutir sobre o que a causou, mas como lidaremos com ela". Ela já afirmou não ter certeza de que as mudanças eram causadas pela ação humana.

Joe Biden respondeu que o republicano John McCain votou várias vezes no Senado contra a implementação de energias limpas, as quais ele e Obama apóiam.

Casamento gay
A mediadora do debate, Gwen Ifill, perguntou aos candidatos sobre suas opiniões sobre a igualdade de direitos entre casais homossexuais e heterossexuais.

O democrata Joe Biden afirmou que ele e Obama defendem que casais formados por pessoas do mesmo sexo tenham os mesmos direitos civis que os heterossexuais.

Palin, conhecida por suas posições conservadoras, disse que também defende estes direitos e que "tolera" os homossexuais, mas não é a favor de que a união entre pessoas de mesmo sexo seja considerada um casamento.

Quando diretamente perguntado se ele é a favor do casamento gay, Biden foi enfático: "Não", dizendo que a posição é dividida com Barack Obama.

Iraque
Assim como aconteceu na última sexta-feira no debate entre John McCain e Barack Obama, os dois candidatos divergiram sobre a atuação dos Estados Unidos no Iraque.

A republicana Sarah Palin defendeu a estratégia do governo Bush no país e acusou Obama de ter sido contra o envio de mais tropas ao Iraque, o que, segundo analistas diminuiu os índices de violência no país.

"O plano de vocês (democratas) é como hastear uma bandeira branca de rendição. Não podemos perder", disse.

Biden defendeu um cronograma de retirada das tropas americanas do país em 16 meses. "Esta é a diferença entre nós (democratas) e vocês (republicanos), nós vamos acabar com a guerra", disse.

Pesquisas
Jane O' Brien, correspondente da BBC em Washington, afirma que Sarah Palin se esforçou para passar a imagem de "mãe" para se aproximar dos americanos comuns.

Segundo O' Brien, na maior parte do debate, Palin se expressou fluentemente, mas de maneira simples, sobre economia, mudanças climáticas e a Guerra no Iraque.

Duas pesquisas divulgadas após o debate pelas redes de TV americanas CBS e CNN apontam que os eleitores avaliam que Biden venceu o debate. Entretanto, a pesquisa da CNN aponta que uma grande maioria acha que Palin fez melhor do que se esperava dela.

Ceticismo
No mesmo dia do debate, uma pesquisa divulgada pelo jornal Washington Post apontou que 60% dos eleitores vêem Sarah Palin com sendo muito inexperiente para ser presidente.

Um terço dos entrevistados afirmou que está menos propenso a votar em McCain por causa da inexperiência de sua candidata a vice.

Mas os independentes (aqueles que ainda não se decidiram pelo Partido Republicano ou pelo Partido Democrata) são os mais céticos em relação à governadora do Alasca.

Segundo a pesquisa, 29% do eleitorado tem uma imagem "muito favorável" de Palin, enquanto a mesma quantidade de pessoas têm uma imagem "muito negativa" sobre ela.

No total, 51% do eleitorado é favorável a Palin, enquanto 57% se diz favorável a Joe Biden.

Escolhas corretas?
A escolha dos dois candidatos a vice, de alguma forma, procura suprir algumas supostas deficiências de Barack Obama e Jonh McCain.

Ligada à direita religiosa e com posições que agradam os conservadores, Sarah Palin pode ajudar Jonh McCain a conquistar o eleitorado republicano mais conservador.

Já Barack Obama, que foi muito criticado por sua suposta inexperiência em assuntos internacionais, escolheu o veterano senador Joe Biden, que é um antigo membro do Comitê de Relações Internacionais do Senado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.