Vice-presidente dos EUA visita o Líbano

Beirute, 22 mai (EFE).- O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, chegou hoje a Beirute para expressar seu apoio a um Líbano independente e soberano na primeira visita de um responsável desta categoria a território libanês em quase três décadas.

EFE |

Biden, que vem diretamente do Kosovo, já chegou ao palácio presidencial, o Baabda, onde manterá uma reunião com o presidente do Líbano, Michel Suleiman.

Também deve se reunir com o primeiro-ministro, Fouad Siniora, com o presidente do Parlamento, Nabih Berri, e com outros responsáveis libaneses.

Esta visita ocorre duas semanas antes das eleições legislativas e parlamentares, que, segundo algumas pesquisas, darão a vitória à oposição liderada pelo Hisbolá, a quem os EUA qualificam de "grupo terrorista".

A "Al Markazia" disse que Biden quer transmitir uma mensagem do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de apoio à estabilidade do Líbano e à aplicação das resoluções internacionais, especialmente a 1.701, que colocou fim ao conflito entre Israel e Hisbolá em 2006.

Os EUA estão determinados a "apoiar o Líbano e fornecer ao Exército libanês o material necessário, conforme os acordos assinados", segundo a "Al Markazia".

A visita de Biden gerou críticas do partido xiita libanês Hisbolá, que a qualificou de "ingerência nos assuntos dos libaneses".

A visita também coincide com a descoberta e desmantelamento há uma semana de uma rede de espiões que supostamente trabalhavam para Israel. Cerca de 20 pessoas, quase todas libanesas, foram detidas.

Recentemente, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, fez uma curta visita ao país, durante a qual expressou também seu apoio a um "Líbano livre e independente".

Hillary pediu que as eleições parlamentares, previstas para 7 de junho, aconteçam "sem intimidação nem interferências estrangeiras".

Estritas medidas de segurança acompanham esta visita, entre elas o fechamento de várias ruas, a proibição de estacionamento e um grande esquema militar. EFE ks-nq-jrg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG