Vice-presidente dos EUA condena "horroroso ataque" no Arizona

Jared Lee Loughne, de 22 anos, é o principal suspeito do crime

EFE |

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, condenou neste sábado o que qualificou como "horroroso ataque" em Tucson (Arizona), que tirou a vida de pelo menos cinco pessoas e feriu gravemente a congressista democrata Gabrielle Giffords.

"Gabby é uma das melhores membros do Congresso que conheço", afirmou Biden em comunicado. "É uma líder com princípios, criadora de consenso", acrescentou o "número dois" da Casa Branca, que lamentou também a morte do juiz federal John Roll, "um jurista muito entregue" a sua profissão. "Sua morte, representa uma terrível perda para o Arizona e para o país", disse Biden.

"Desconhecemos, por enquanto, a motivação após estes tiroteios", ressaltou Biden, indicando que o que se sabe é que "simplesmente não há justificativa nem razões para um ato de violência tão sem sentido e atroz na sociedade americana".

Gabrielle participava esta manhã de um ato com eleitores em frente a um supermercado em Tucson quando um desconhecido deu um tiro na sua cabeça a uma distância de menos de um metro.

Os meios de imprensa identificaram o suspeito como Jared Lee Loughner, um jovem de 22 anos, em custódia policial, que disparou contra Gabrielle e outras 17 pessoas.

Além do juiz federal também morreu uma menina de nove anos, segundo confirmaram fontes do hospital University Medical Center de Tucson.

    Leia tudo sobre: gabrielle giffordsJoe BidenTucsonArizonaEUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG