Vice-presidente dos EUA acusa a Rússia pelos problemas políticos na Ucrânia

A Ucrânia atravessa momentos difíceis por causa da Rússia, afirmou nesta sexta-feira o vice-presidente americano Dick Cheney, depois de se reunir em Kiev com a primeira-ministra e o presidente ucranianos, confrontados numa crise política alimentada pela tensão com a Geórgia.

AFP |

Cheney, que chegou a Kiev procedente da Geórgia, apoiou a aspiração da Ucrânia de aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o que contraria Moscou.

"Os ucranianos têm direito a decidir se querem se unir à Otan e a Otan tem o direito de convidar a Ucrânia a entrar na Aliança quando considerarmos que está preparada e que o momento é oportuno. Nenhum terceiro país tem direito a veto", afirmou, ao término de uma reunião com o presidente ucraniano Viktor Yushchenko.

Sem mencionar claramente, Cheney se referia à Rússia, que se opõe ao desejo da antiga república soviética de entrar na Aliança Atlântica.

Também numa aparente alusão à incursão militar russa na Geórgia, disse que a Ucrânia tem o direito de viver sem temer "uma invasão ou intimidação".

"Acreditamos no direito dos homens e das mulheres de viverem sem a ameaça de uma tirania, de uma chantagem econômica ou de uma ameaça militar ou uma intimidação".

A coalizão pró-ocidental no poder na Ucrânia enfrenta uma grave crise pelos confrontos entre o presidente Yushchenko e a primeira-ministra Yulia Timoshenko, agravados por suas posturas divergentes na atitude que adotaram ante o conflito bélico do mês passado entre a Rússia e a Geórgia.

Na véspera, Cheney manifestou o apoio de seu país à adesão da Geórgia à Otan e novamente criticou a Rússia, em uma rápida visita à antiga república soviética, abalada pelo recente conflito bélico com Moscou.

"Os Estados Unidos estão plenamente comprometidos com o projeto georgiano de aderir à Otan e com sua admissão final na Aliança", disse Cheney após um encontro com o presidente georgiano Mikhail Saakashvili.

"Como declararam os membros da Otan na reunião de cúpula de Bucareste, a Geórgia estará em nossa Aliança", acrescentou, em referência à reunião de abril da Otan.

O vice de George W. Bush reiterou ainda o apoio de Washington à integridade territorial da Geórgia.

Depois destes países, Cheney encerrará a viagem à Europa com uma escala na Itália.

ksh-sjw/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG