Toronto (Canadá), 20 abr (EFE).- Kent Woodside, vice-presidente da companhia aérea CanJet, proprietária do avião sequestrado hoje na Jamaica, expressou seu alívio pela captura do homem armado que reteve durante várias horas seis tripulantes do aparelho.

O vice-presidente disse que a companhia "está aliviada por confirmar que o homem armado no voo 918 da CanJet em Montego Bay está sob custódia policial e que os outros integrantes da tripulação foram libertados ilesos".

Woodside também expressou sua preocupação "com o bem-estar de todas as pessoas atingidas por este incidente" e disse que a tripulação retida pelo suposto sequestrador "está recebendo atendimento médico como precaução".

A CanJet anunciou que um avião da companhia partiu de Montreal com destino a Montego Bay para pegar os passageiros e tripulantes que quiserem voltar ao Canadá.

Alphonse Gosselin, pai de um dos 174 passageiros, disse à televisão pública canadense "CBC" que o sequestrador atirou sua arma no início do incidente e que reivindicou todo o dinheiro que levavam os ocupantes do avião.

Cheryl Spear, mãe de outro passageiro, também disse à "CBC" que um dos tripulantes do avião negociou com o sequestrador a libertação dos 174 ocupantes e dois empregados da CanJet. EFE jcr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.