Vice-presidente americano, Joe Biden, dá início a giro pela Ásia

Biden passará por China, Mongólia e Japão; economia, direitos humanos e programas nucleares devem ser temas abordados

iG São Paulo |

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joseph Biden, deu início nesta terça-feira a um giro pela Ásia, viagem com objetivo de impulsionar as relações com governos da região.

Getty Images
Biden passará por China, Mongólia e Japão (22/7)
A primeira etapa do giro diplomático de Biden começou nesta terça-feira, na China. A viagem de oito dias, que continuará na Mongólia e no Japão, faz parte da estratégia da Casa Branca para recuperar sua influência na área Ásia-Pacífico. O encontro ocorre em meio a uma fase de fortes turbulências econômicas globais, um dos assuntos que dominarão a pauta.

Biden tentará tranquilizar as inquietações asiáticas sobre a economia americana e tentará estabelecer laços com seu colega chinês, Xi Jinping, que assumirá o país em 2013. O vice chinês acompanhará Biden em uma visita a Duijiangyan, uma das localidades devastadas pelo terremoto na província de Sichuan em 2008.

"Um dos principais propósitos da viagem é conhecer os futuros líderes chineses, estabelecer uma relação com o vice-presidente Jinping e abordar com ele e com outros líderes chineses toda a gama de temas que envolvem a relação sino-americana", declarou o conselheiro de segurança nacional de Biden, Tony Blinken. "Estamos investindo no futuro da relação".

Além disso, o vice-presidente americano, que também se reunirá com o atual presidente da China, Hu Jintao, com o primeiro-ministro, Wen Jiabao, e com empresários em Pequim, deve abordar com as autoridades chinesas também assuntos como direitos humanos e programas nucleares do Irã e da Coreia do Norte. Autoridades chinesas, por sua vez, deverão abordar com o vice americano temas delicados como a venda de armamento dos EUA para Taiwan.

Economia

O tópico mais delicado da pauta, no entanto, será provavelmente sobre a situação econômica. Biden explicará às autoridades chinesas a nova lei que eleva o teto da dívida americana, cujo processo de aprovação se encontra em meio a intensas disputas políticas. Além disso, após as turbulências geradas pelo rebaixamento da qualificação do crédito soberano dos EUA de AAA para AA+, por parte da agência Standard & Poor's, o vice-presidente poderá defender a solidez da economia de seu país armado do novo relatório da agência rival Fitch, que mantém a qualificação AAA e atribui uma perspectiva estável.

Depois da China, Biden visitará a Mongólia, onde se reunirá no dia 22 de agosto com autoridades do país. Entre 22 e 24, o vice americano estará no Japão, onde se reunirá com o primeiro-ministro Naoto Kan e visitará a cidade de Sendai para transmitir o apoio dos EUA ao país depois do terremoto, do tsunami e do acidente nuclear ocorridos em março.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: chinaeuajoe bidentourjapãomongólia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG